Ex-goleiro do Corinthians é indiciado por homicídio doloso em Santos

O ex-jogador estava a 102 km/h, de acordo com os peritos, em uma via de 50 km/h, além de estar com a CNH suspensa

por Agência Futebol Interior

Santos, SP, 08 (AFI) - Raphael Aflalo Lopes Martins, de 21 anos, ex-goleiro do Corinthians, será indiciado por homicídio doloso, quando há a intenção de matar. Em abril de 2017 ele atropelou e matou Matheus da Silva Nascimento, de 17 anos, ambulante que trabalhava em Santos, no literal de São Paulo. O ex-jogador estava a 102 km/h, de acordo com os peritos, em uma via de 50 km/h, além de ter com a CNH provisória (Carteira Nacional de Habilitação) suspensa, com mais de 100 pontos acumulados nos meses anteriores.

No início da investigação a polícia chegou a considerar o homicídio culposo, quando não há a intenção de matar, mas os dados da perícia derrubaram a tese. Além do inquérito policia, há uma ação cível em que a família do ambulante pede 800 salários mínimos de indenização pela morte do jovem de 17 anos. A audiência no Fórum aconteceu na última terça-feira, mas os advogados de defesa, em acordo com a outra parte, pediu para adiar.

Raphael Aflalo, ex-goleiro, é indiciado por homicídio doloso em Santos
Raphael Aflalo, ex-goleiro, é indiciado por homicídio doloso em Santos
Uma câmera de segurança de um dos prédios na Avenida Epitácio Pessoa gravou o exato momento do atropelamento. O carro de Raphael Aflalo está claramente acima da velocidade dos demais que circulam na pista. Matheus caminhada na faixa da direita ao lado do seu pai, puxando o carrinho ambulante. Com o choque, o rapaz de 17 anos voo mais de 20 metros, enquanto o pai teve apenas ferimentos leves.

Matheus foi reanimado pelo SAMU e encaminhado para a Santa Casa de Santos, onde sofreu uma parada cardiorrespiratória e não sobreviveu. Populares chegaram a ameaçar Raphael Aflalo antes da chegada da Polícia Militar. Ele foi conduzido para a delegacia e prestou depoimento. Com o inquérito policial, ficou constatado homicídio doloso e agora ele responderá na justiça pela ação criminal.

 
 
" />