Paulistão: Abraji repudia agressão a jornalistas durante eleição no Corinthians

Confusão aconteceu após a eleição de Andrés Sanchez como presidente do clube. Jornalistas foram agredidos e não puderam trabalhar

por Agência Estado

São Paulo, SP, 05 - A Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo (Abraji) divulgou nota nesta segunda-feira para repudiar a agressão a repórteres cometida por torcedores durante a eleição para presidente do Corinthians, no último sábado, no Parque São Jorge. Segundo a entidade, profissionais de pelo menos quatro veículos sofreram ataques, desde golpes até ações que dificultaram o trabalho.

Andrés Sanchez volta ao cargo de presidente do Corinthians, que foi dele de 2008 à 2011 (Foto: Meu Timão / Larissa Lima)
Andrés Sanchez volta ao cargo de presidente do Corinthians, que foi dele de 2008 à 2011 (Foto: Meu Timão / Larissa Lima)
VIOLÊNCIA
A confusão no clube começou logo depois da vitória de Andrés Sanchez nas urnas. O dirigente, inclusive, precisou deixar o local escondido em um carro, enquanto torcedores agrediam jornalistas. O episódio mais marcante envolveu a equipe de trabalho da ESPN Brasil. O repórter Flávio Ortega e o cinegrafista Marcelo D'Sants foram agredidos com chutes e mordida.

Outros veículos também enfrentaram problemas. Profissionais da Fox Sports tiveram o fio do microfone arrancado, o cinegrafista do Esporte Interativo, Marcus Moares, levou tapas, chutes e teve a calça rasgada. Já a equipe do SporTV, teve problemas e não conseguiu realizar o trabalho pois teve os equipamentos danificados.

NOTA...
A Abraji afirmou que o episódio tem violações diretas à liberdade de expressão e ao direito à informação. A entidade cobrou ainda uma mudança de postura. "Clubes e torcidas organizadas devem rever sua influência em ações desse tipo. Ao criticarem jornalistas ou meios de comunicação nominalmente em notas oficiais e redes sociais, estimulam a hostilidade em relação a esses profissionais e tornam-se cúmplices das violações", diz o texto.

 
 
" />