Atacante teria sido barrado no Corinthians por indisciplina

O atacante irá iniciar a partida diante do Grêmio como opção no banco de reservas

por Agência Futebol Interior

São Paulo, SP, 31 (AFI) - A crise está instalada no Corinthians. Com duas derrotas seguidas, o time caiu de produção e está muito perto de perder a liderança do Campeonato Brasileiro. O momento ruim abriu os olhos da diretoria, que teria barrado o atacante Jorge Henrique (foto) por mau comportamento. A informação foi publicada pelo jornal Lance nesta quarta-feira.

O presidente Andrés Sanchez estaria bastante irritado com as atitudes de alguns jogadores e o fato de Jorge Henrique ter sido barrado pode ser encarado como um alerta para os demais. O mandatário alvinegro vem se reunindo constantemente com o técnico Tite para discutir sobre a atual situação do time.

Muitos acreditam que a queda de rendimento do atacante Jorge Henrique, que era um dos principais jogadores nesta temporada, está diretamente ligada ao comportamento fora de campo. Ele estaria abusando fora das quatro linhas e isso irritou presidente e comissão técnica, que decidiram deixá-lo apenas como opção no banco de reservas diante do Grêmio, nesta quarta-feira.

No entanto, a diretoria desmentiu a informação do jornal nesta quarta-feira e soltou uma nota oficial em seu site, dizendo que a decisão de Jorge Henrique ter deixado os 11 titulares contra o Imortal foi apenas uma opção do técnico Tite.

Confira a nota na íntegra

A matéria publicada pelo Lance! nesta quarta-feira (31), que diz que o jogador Jorge Henrique foi barrado pela diretoria, não é verdadeira. As mudanças no time foram feitas por opção exclusiva do treinador, levando em conta apenas critérios técnicos e táticos.

Apesar da longa trajetória de Jorge Henrique como titular do Corinthians, esta não é a primeira vez que ele perde a titularidade sob o comando de Tite e da atual comissão técnica. Contra o Coritiba, na segunda rodada do Campeonato Brasileiro de 2011, o atacante também não iniciou a partida por decisão apenas do treinador.