Macron quebra boicote diplomático à Rússia e viajará para ver jogo da França

A viagem não terá motivos diplomáticos: Macron retornará no mesmo dia para a França, após o final da partida em São Petersburgo

por Agência Estado

  • A cobertura da Copa do Mundo é um oferecimento

Campinas, SP, 07 - O presidente francês, Emmanuel Macron, viajará à Rússia para acompanhar a partida da semifinal da Copa do Mundo entre França e Bélgica, nesta terça-feira. A informação foi confirmada nesta semana pelo Palais de l'Élysée, sede do governo francês. A viagem não terá motivos diplomáticos: Macron retornará no mesmo dia para a França, após o final da partida em São Petersburgo, e não tem outros eventos marcados na agenda oficial.

Sua presença não é uma novidade; em maio, durante o Fórum Econômico Internacional de São Petersburgo, Emmanuel Macron havia comentado que retornaria à Rússia ainda em 2018 para assistir ao jogo da França, caso a seleção chegasse às semifinais - o que aconteceu após vitória contra o Uruguai - e à final.

Entretanto, a confirmação oficial põe em xeque um boicote diplomático à Rússia organizado pela Inglaterra em março. A primeira-ministra Theresa May anunciou que nenhum ministro ou membro da família real britânica compareceria à Rússia para assistir à Copa do Mundo, o que até agora se consolidou.

Macron quebra boicote diplomático à Rússia e viajará para ver jogo da França
Macron quebra boicote diplomático à Rússia e viajará para ver jogo da França

O motivo é o envenenamento do ex-espião russo Serguei Skripal, que cedeu informações ao governo britânico, e também de sua filha. A Inglaterra responsabiliza o governo russo pelo ataque, enquanto Moscou nega qualquer envolvimento. A mesma substância também envenenou um casal no dia 30 de junho, na mesma região, o que técnicos suspeitam ser causado pela permanência do veneno no ambiente.

Grupos internacionais de direitos humanos também clamaram por boicote de líderes internacionais à Rússia, por causa do posicionamento e de intervenções do país na guerra da Síria, a favor do governo ditatorial de Bashar al-Assad.

AÍ SIM
Islândia, Austrália e Dinamarca, além de outros governos da Europa oriental, antigo reduto soviético, seguiram a decisão da Inglaterra. Porém, além de Emmanuel Macron, os reis da Bélgica e da Espanha viajaram à Rússia para assistir a jogos da seleção de cada país. A Copa do Mundo tem sido uma oportunidade para o presidente Vladimir Putin organizar reuniões paralelas com líderes de Estado internacionais, em um momento delicado para a Rússia no cenário global.

Apesar de Emmanuel Macron não ter anunciado encontro com Vladimir Putin e ter direcionado diversas críticas ao governo russo nos últimos meses, o porta-voz do Kremlin declarou: "Estamos felizes que o presidente da França está vindo".

 
 
  • A cobertura da Copa do Mundo é um oferecimento
" />