Copa do Mundo: Com clima tenso, Argentina realiza treino 'meio' aberto na Rússia

Apenas poucos torcedores estiveram no centro de treinamento onde a equipe sul-americana se prepara, na cidade de Bronnitsy

por Agência Estado

  • A cobertura da Copa do Mundo é um oferecimento

Campinas, SP, 11 - O primeiro treino aberto da seleção da Argentina para a Copa do Mundo de 2018 foi, digamos, "meio" aberto. Apenas poucos torcedores que estiveram no centro de treinamento onde a equipe se prepara, na cidade de Bronnitsy, a cerca de 70 quilômetros de Moscou, puderam entrar para acompanhar os jogadores da equipe. Nem mesmo todos os jornalistas que estiveram no local conseguiram entrar. Só pôde conferir o trabalho quem a Associação do Futebol Argentino (AFA) permitiu.

Do lado de dentro do CT, o trabalho dos jogadores foi bem básico. Nada de jogadas ensaiadas, apenas toques de bola, chutes a gol sem muita pretensão. O técnico Jorge Sampaoli não gosta de treinos abertos e precisou aceitar a imposição da Fifa. O clima na seleção argentina é meio tenso, principalmente pela denúncia feita por um jornalista da Rádio Mitre, de Buenos Aires, de que o treinador da seleção teria abusado sexualmente de uma funcionária da federação do país.

O assunto é delicado até mesmo entre os jornalistas locais que estão acompanhando a seleção e quase ninguém fala abertamente nisso. A assessoria de imprensa da seleção, então, tem trabalhado de forma intensa para tentar abafar o caso. O próprio treinador já disse que não pretende processar a funcionária.

Copa do Mundo: Com clima tenso, Argentina realiza treino 'meio' aberto na Rússia (Foto: Divulgação/AFA)
Copa do Mundo: Com clima tenso, Argentina realiza treino 'meio' aberto na Rússia (Foto: Divulgação/AFA)
OS ADEPTOS
Se do lado de dentro apenas alguns poucos torcedores entraram, do lado de fora foram pelo menos cem que se aglomeraram em frente ao portão para tentar enxergar alguma coisa. A maioria, claro, argentinos, mas também foram vistos os simpáticos mexicanos, iranianos e até mesmo um garoto russo de dez anos, Maxim Solodkov, que mora em um conjunto habitacional de classe média que fica bem em frente ao local onde Lionel Messi e seus colegas estão treinando - a diferença de Maxim para as outras crianças é que ele estava com calção e camisa da seleção brasileira.

"Adoro o futebol brasileiro", disse o garoto ao Estado. Ele usava um modelo com o número nove às costas e o nome de Luis Fabiano, atacante que defendeu a seleção na Copa de 2010, na África do Sul.

"Sei que no Brasil tem o Rio de Janeiro, São Paulo e Brasília, que é a capital do País. Sabe, eu gosto muito de geografia, acho que é a matéria que eu mais gosto na escola", disse o menino, que fala inglês fluente.

"Também gosto de inglês. Português é muito difícil?", brincou o menino, se interessando pela conversa entre dois repórteres brasileiros ao seu lado.

Na Rússia, o garoto torce para o Spartak Moscou, mas ele gosta mesmo é do Manchester City. E no Brasil, conhece o Flamengo e o Palmeiras, time que revelou um dos seus ídolos.

"Eu gosto muito do Gabriel Jesus. Ele é muito bom!".

LOS HERMANOS
A Argentina estreia na Copa do Mundo no sábado, às 11h (horário de Brasília) contra a Islândia, em Moscou. A seleção de Messi tentará o tricampeonato mundial na Rússia - a equipe não conquista um título de expressão desde a Copa América de 1993 e isso tem sido um peso para os jogadores da seleção.

 
 
  • A cobertura da Copa do Mundo é um oferecimento
" />