Você sabia? Técnicos "estrangeiros" nunca ganharam um Mundial

por Agência Futebol Interior

Campinas, SP, 08 (AFI) - Na Copa do Mundo da África do Sul, onze técnicos estrangeiros comandarão seleções de outros países tentando quebrar um tabu histórico. Desde o início da disputa das Copas do Mundo, em 1930, nenhuma seleção que ganhou a competição tinha um técnico nascido fora do país.

Veja também:
"Esse Mundial tem tudo para ser do Robinho", afirma Lula

Alguns treinadores terão boas chances de realizar o feito, enquanto que uns correm por fora e outros não devem passar de meros coadjuvantes. Na África do Sul, Carlos Alberto Parreira tentará algo considerado praticamente impossível pelos críticos - levar o país-sede ao título. Realista, o brasileiro afirmou que se conseguir a classificação no Grupo A, já ficará satisfeito.

No Grupo B, o sueco Lars Lagerback, que levou a Suécia às oitavas em 2002 e 2006 terá a difícil missão de comandar a Nigéria na Copa do Mundo. Os africanos já viveram seus melhores tempos, mas mesmo assim, tem uma grande obsessão por grandes resultados, fato que provocou quatro demissões desde o Mundial passado.

Otto Rehhagel, alemão campeão da Eurocopa de 2004 à frente da Grécia, tentará repetir a zebra com a equipe em solo africano, apostando novamente em uma defesa sólida e rápidos contra-ataques. O técnico que tem mais chances de quebrar a sina histórica talvez seja Fabio Capello, italiano que comanda a Inglaterra, que chega à Copa do Mundo como uma das favoritas.

Considerada uma zebra no Mundial de 2006, a Austrália chega neste Mundial sob o comando de outro estrangeiro. Na Alemanha, o holandês Guus Hiddink estava à frente da equipe, e neste ano, seu compatriota Pim Verbeek tentará ao menos repetir o feito de seu antecessor ao avançar no Grupo D. O sérvio Milovan Rajevac será seu concorrente, à frente de Gana.

O francês Paul Le Guen, que destacou-se à frente do Lyon na segunda metade da década passada, comandará os Leões Indomáveis de Camarões no Grupo E da Copa, apostando em uma boa performance do atacante Samuel Eto'o.

Sueco, o técnico Sven-Goran Eriksson, por sua vez, será rival do Brasil à frente da Costa do Marfim, tentando vingança pela eliminação que sofreu nas quartas de 2002, à frente da Inglaterra, derrotada pelo time canarinho por 2 a 1. O alemão Ottmar Hitzfeld, que conquistou a Liga dos Campeões pelo Bayern de Munique na década passada, vai para sua primeira Copa do Mundo no comando da Suíça.

Peixes fora d'água?
Os hermanos Marcelo Bielsa e Gerardo Martino se farão presentes neste Mundial, ambos comandando rivais sul-americanos da Argentina. Bielsa, que treinou a Albiceleste em 2002 sendo eliminado na fase de grupos, estará à frente do Chile, enquanto que Martino será o comandante do Paraguai.

Reinaldo Rueda, nascido na Colômbia, estará à frente de Honduras. Curiosamente, foi o técnico de seu país nas Eliminatórias para o Mundial de 2006, mas não conseguiu a classificação, ao contrário deste ano.