Bomba! Joel Santana contesta interpretação de jornal O Globo

por Agência Futebol Interior

Rio de Janeiro, RJ, 18 (AFI) - O ex-técnico da África do Sul, Joel Santana, que atualmente dirige o Botafogo, reprovou a reportagem publicada no jornal “O Globo”, onde fez uma análise da partida entre os Bafana Bafana e o Uruguai. Segundo o treinador, o jornal interpretou mal suas palavras e tal fato pode causar certo inconveniente com o amigo de longa data, Carlos Alberto Parreira.

Leia mais:
Brasil: Surpresa pode pintar no confronto contra Costa do Marfim


“Jamais faria isso com um amigo de 20 anos. Ele já sofre uma pressão absurda lá, não precisa acordar e ver mais essa crítica. Seria desnecessário eu fazer isso. Não fui bem compreendido e acho que o Parreira fez tudo o que foi possível na partida”, disse.

Joel Santana comandou a África do Sul em 2008 e 2009 e garante que não tem mágoas por ter sido substituído por Parreira e que torce pela seleção anfitriã no Mundial.

“Por todo o esforço que eles fizeram para realizar uma Copa do Mundo, merecem seguir no torneio. Sei que está difícil, mas no futebol tudo pode acontecer. Seria muito triste pelo trabalho que tem sido realizado uma eliminação precoce”, reforçou.

Veja publicação
Segundo o jornal “O Globo”, Joel Santana conhece o time muito bem e criticou o indicado para substituí-lo no cargo com conhecimento de causa. Além disso, trouxe que o treinador considerou um exagero a derrota por 3 a 0 para o Uruguai.

“A África do Sul mostrava pouco brilho e, no segundo tempo, fiquei surpreso porque o time voltou com os mesmos jogadores. Quando Parreira arriscou, tirando um cabeça de área, botou um atacante lento. Reforçou o ataque, mas sobrecarregou a marcação, que não era forte, e ainda tornou a defesa vulnerável. O gol era questão de tempo. Após o segundo, com um a mais (o goleiro Khune fora expulso ao cometer pênalti em Suárez), virou brincadeira de gato e rato”, disse Joel.

O técnico do time alvinegro considerou o placar exagerado ("2 a 0 era de bom tamanho", afirmou), mas elogiou o time uruguaio, que segundo suas observações teve como grande mérito não deixar o torcedor sul-africano se empolgar.