Meia do Flamengo vai para o sacrifício, não bate pênalti e deixa o campo calado

Éverton Ribeiro tinha jogado 91 minutos no Uruguai pela Seleção, mas aceitou entrar no segundo tempo no Morumbi

por Agência Futebol Interior

São Paulo, SP, 18 (AFI) - Personagem que chamou atenção foi o meia Éverton Ribeiro, que atuou durante o segundo tempo. Ele entrou no lugar do atacante Michael. E poderia ter até marcado um gol de pênalti aos 18 minutos, quando pegou a bola para a cobrança.

Mas, enquanto o árbitro confirmava o lance no VAR, Vitinho encostou nele e pediu para cobrar, pegando a bola das mãos do meia. Mas isolou a bola por cima do travessão. Em 33 jogos na temporada ele só marcou dois gols, uma performance ruim.

Flamengo falhou na defesa de novo
Flamengo falhou na defesa de novo

NEM DEVERIA JOGAR
A verdade é que Éverton Ribeiro nem deveria ter entrado em campo.

Na noite anterior ele comandou a seleção brasileira na vitória por 2 a 0 sobre o Uruguai, em Montevidéu, pela quarta rodada das Eliminatórias Sul-Americanas para a Copa do Mundo do Catar.

Atuou por 91 minutos.

Mas logo pela manhã de quarta-feira ele já estava concentrado com seus companheiros de clube num hotel da capital paulista. E antes já tinha postado nas suas redes sociais uma foto no qual aparecia usando botas pneumáticas, que ajudam na recuperação muscular de atletas. Com os seguintes dizeres:

“Recuperando para mais uma decisão”.

NÃO DEU CERTO
Não deu certo. Ao final do jogo ele foi o primeiro jogador a ser cumprimentado pelo técnico Rogério Ceni, mas não quis dar entrevistas na beira do gramado indo direto para os vestiários.

O técnico Rogério Ceni confirmou na coletiva que na véspera o time treinou pênalti. Bateu 24 e acertou 19, mas não acertou a pontaria no jogo com Vitinho, que isolou a bola por cima do travessão.

MENGO TREINOU PENALTIS, SEGUNDO ROGERIO CENI