Paysandu-PA 1 x 2 Palmeiras - Verdão não elimina jogo da volta

por Teste

Belém, PA, 18 (AFI) - O Palmeiras não foi o mesmo da empolgante vitória sobre o Santos no clássico do fim de semana. Nem pelos jogadores, nem pela postura em campo. Mesmo assim, venceu o Paysandu por 2 a 1 nesta quarta-feira, em Belém (PA). O resultado não evita o jogo de volta, no dia 31 de março, pela segunda fase da Copa do Brasil.

Na segunda partida, em São Paulo, o Palmeiras pode até perder por um a zero que ainda assim se classifica. Já o Papão se classifica com uma vitória por dois gols de diferença, ou vencer por um gol de vantagem desde que faça ao menos três. Quem passar pega na próxima fase Atlético-PR ou Sampaio Correa-MA

Verdão poupa titulares
Nesta quarta, o técnico Antônio Carlos resolveu fazer mudanças no time. Entrou na onda do rodízio de jogadores e deixou Robert - que marcou três gols no clássico -, Cleiton Xavier e Pierre no banco de reservas. Os recém-chegados Ewerthon e Lincoln ganharam chance entre os titulares, assim como Márcio Araújo.

Do outro lado, o Paysandu entrou em campo mostrando força no ataque. "Vamos tentar dar uma pressão nos primeiros 10, 15 minutos", disse o treinador Charles Guerreiro, antes da bola rolar. Acabou levando um susto logo no começo do jogo. Embalado pela sua torcida, o time se lançou de todo jeito ao ataque, mas deixou espaços.

Em um desses vazios na defesa paraense, Éwerthon encontrou Lincoln penetrando na zaga aos 12 minutos. O meia-atacante, que fez a sua primeira partida como titular, teve calma para se livrar do goleiro e abrir o placar. O Palmeiras parecia que iria tomar conta da partida. Mas o Paysandu não se intimidou e, aos 25 minutos, tratou de empatar. Márcio Araújo saiu jogando errado, perdeu a bola, e Bruno Rangel chutou forte, entre a trave e o goleiro Deola - que substituiu Marcos, poupado com problemas musculares.

A partir daí, a desordem se instalou na equipe palmeirense. Lenny reclamou com Éwerthon e ouviu os piores palavrões do companheiro de ataque. Na defesa também faltava harmonia e Léo e Edinho sofriam com as chances criadas pelos adversários. A virada só não veio pela falta de pontaria.

Gol e dancinha!
Na volta do intervalo, o time paulista exibiu nova postura. Aos 3 minutos, o lateral-direito Eduardo, em uma das suas raras subidas ao ataque, cruzou na área e foi a vez de Éwerthon fazer seu primeiro gol com a camisa palmeirense. A bola sobrou na pequena área e ele só teve o trabalho de empurrar para as redes. Na comemoração, fez a conhecida dancinha em homenagem ao colombiano Armero.

Depois do gol, Antônio Carlos decidiu que era hora de colocar os titulares em campo. Pierre, Cleiton Xavier e, mais tarde, Robert entraram para dar mais volume de jogo ao Palmeiras. Não adiantou. Continuou sofrendo com os ataques dos paraenses.

Na única chance que teve, Robert recebeu na pequena área e chutou em cima do goleiro. No rebote, Diego Souza e Lincoln também tentaram marcar, mas pararam no goleiro Alexandre Favaro. Já nos minutos finais, Léo e Zé Augusto arrumaram confusão, mas só tomaram cartão amarelo.

De volta a São Paulo, o Palmeiras já tem compromisso no sábado, pela 15.ª rodada do Campeonato Paulista. O time recebe a Ponte Preta, às 17 horas, no Palestra Itália.

Ficha Técnica

Paysandu 1 x 2 Palmeiras

Local: Estádio Olímpico do Pará, em Belém (PA)
Árbitro: Rodrigo Nunes de Sá (RJ).
Cartões amarelos: Zeziel, Zé Augusto (Paysandu); Eduardo, Pierre, Léo (Palmeiras).
Gols: Lincoln, 13'/1T e Éwerthon, 3'/2T (Palmeiras); Bruno Rangel, 25'/1T (Paysandu)

Paysandu
Alexandre Fávaro; Allax, Leandro Camilo, Paulão e Zeziel (Flávio); Tácio, Sandro Goiano, Fabrício (Zé Augusto), Marquinhos (Alexandre Pereira); Moisés e Bruno Rangel.
Técnico: Charles Guerreiro.

Palmeiras
Deola; Eduardo (Pierre), Léo, Danilo e Armero; Edinho, Márcio Araújo, Lincoln e Diego Souza; Lenny (Cleiton Xavier) e Éwerthon (Robert).
Técnico: Antônio Carlos Zago.