ESPECIAL COPA VERDE: Após desistências, Cuiabá surpreende e chega ao bicampeonato

Campeão da edição de 2015, o Dourado conquistou o título após bater o Paysandu nas penalidades máximas

por Agência Futebol Interior

Campinas, SP, 25 (AFI) - A Copa Verde ficou por um triz de não acontecer em 2019. Prova disso? A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) confirmou a disputa apenas em maio, colocando seu início para 24 de julho. Dessa forma, diversos clubes, alegando problemas de calendário e questões financeiras, abriram mão da participação.

De qualquer forma, com um novo formato, agora com 24 participantes, a competição regional voltou a coroar o Cuiabá como campeão, repetindo 2015. Tal qual naquele ano, quando bateu o Remo na decisão, o time centro-oestino voltou a vencer um paraense na final - dessa vez, o Paysandu. Assim, o Dourado garantiu um lugar nas oitavas de final da Copa do Brasil de 2020.

PRIMEIRA FASE
A etapa inicial foi disputada por 16 times - os outros oito, por estarem mais bem posicionados no Ranking da CBF, entraram diretamente nas oitavas de final. A Copa Verde, cabe destacar, não tem o gol fora como critério de desempate, como vem sendo aplicado pela CBF nos últimos anos. Dessa forma, empate no agregado após 180 minutos leva a decisão para os pênaltis.

A grande surpresa ficou para a eliminação do Manaus-AM, vice-campeão brasileiro da Série D, diante do Sobradinho-DF, que não havia passado da fase de grupos da mesma Série D. Os demais classificados foram: Nacional-Am, Bragantino-PA, Ypiranga-AP, União ABC-MS, Brasiliense-DF, Costa Rica-MS e Iporá-GO.

OITAVAS DE FINAL
O segundo estágio ficou 'mais parrudo'. Entraram: Luverdense-MT, Goiás-GO, Sinop-MT, Cuiabá-MT, Atlético-AC, Remo-PA, Paysandu-PA e Santos-AP. E praticamente todos os favoritos conseguiram avançar às quartas de final.

Para ser mais exato, apenas Costa Rica-MS e Bragantino-PA foram zebras. Os outros seis conseguiram classificações até que tranquilas no agregado das duas partidas. O LEC aplicou 9 a 4 no União ABC, enquanto o Esmeraldino anotou 4 a 1 no Brasiliense.

O Dourado precisou dos pênaltis diante do Iporá. Outra goleada veio do Galo: duas vitórias e 4 a 1 no Ypiranga. O Leão perdeu a primeira, mas conseguiu reverter e fazer 3 a 1 ao todo. Por fim, o Papão conseguiu o mínimo: 1 a 0 no Nacional.

Paysandu e Cuiabá fizeram a decisão da Copa Verde - Foto: Divulgação - Foto: Divulgação
Paysandu e Cuiabá fizeram a decisão da Copa Verde - Foto: Divulgação
QUARTAS DE FINAL
Apenas um confronto acabou sendo equilibrado. No duelo entre paraenses, o Paysandu passou aperto, mas conseguiu eliminar o Bragantino, mesmo jogando o confronto decisivo no estádio Diogão, em Bragança (PA). Foram dois empates por 1 a 1 e vitória bicolor por 6 a 5 nos pênaltis.

Os demais semifinalistas não tiveram maiores problemas. O Goiás perdeu a primeira para o Luverdense, mas conseguiu fazer 5 a 3 no agregado. O Remo foi batido uma vez e anotou 7 a 3 ao todo. A Costa Rica até deu um calor e ficou de fora com o 3 a 2 para o Cuiabá após dois jogos.

SEMIFINAL
A penúltima fase viu o encontro entre os quatro favoritos - um time de Brasileirão, um de Série B e duas das camisas mais tradicionais da Série C. No Clássico Re-Pa, dois encontros eletrizantes no estádio Mangueirão, em Belém (PA). O Paysandu, porém, conseguiu se impor no segundo duelo, após um empate sem gols, e venceu por 3 a 1.

O Goiás, que até então dava pouca atenção à Copa Verde, já que tentava se afastar definitivamente da zona de rebaixamento à Série B, usou 'mistos mais quentes' no primeiro confronto diante do Cuiabá - e venceu por 1 a 0. Na volta, na Arena Pantanal, com o time mais perto do ideal, entretanto, acabou eliminado nos pênaltis (4 a 3) após derrota por 2 a 1.

FINAL
O Paysandu foi pressionado em boa parte do duelo de ida da decisão, disputado na Arena Pantanal, muito por conta dos problemas na viagem que fizeram com que a delegação desembarcasse em Cuiabá (MT) instantes anos do confronto, mas venceu por 1 a 0, gol de Nicolas, aos 23 do segundo tempo.

Na volta, no Mangueirão, cenário inverso. Mesmo precisando apenas do empate, o Papão é que regeu as ações e até carimbou a trave, com Nicolas, aos 39 da etapa complementar. Entretanto, aos 49, Escudero cobrou falta na cabeça de Paulinho, que anotou o tento cuiabano.

Nas penalidades, os donos da casa chegaram a ter a chance de título, com Caíque, só que ele mandou para fora, na última tentativa da série. Já nas alternadas, Felipe Marques marcou para os visitantes, enquanto Nicolas desperdiçou para os mandantes.