Copa Paulista: 'Secagem' funciona e Felipe Fumaça e Léo Castro terminam artilheiros

Ambos marcaram 11 gols, contra 10 de Bruno Baio, do campeão Votuporanguense, e Tom, vice-campeão com a Ferroviária

por Federação Paulista (FPF)

Campinas, SP, 04 (AFI) - Eliminados antes da decisão da Copa Paulista, Felipe Fumaça e Léo Castro precisaram ‘secar’ os finalistas para garantir a artilharia. Ambos marcaram 11 gols, contra 10 de Bruno Baio, do campeão Votuporanguense, e Tom, vice-campeão com a Ferroviária.

Atacante do Olímpia, Felipe Fumaça deixou a competição nas quartas de final. Até então, era líder isolado na artilharia, com 11 gols marcados. “Tive que secar um pouco. Eles tiveram alguns jogos a mais e eu fiquei de olho para ver se ninguém passava”, revela o atleta de 25 anos.

Após o término do campeonato, o jogador comentou o feito inédito na carreira. “Foi minha primeira artilharia. Eu sempre joguei mais aberto, nunca fui de fazer tantos gols. Desta vez joguei por dentro e fui mais feliz”, avaliou.

'Secagem' funciona e Felipe Fumaça e Léo Castro terminam artilheiros
'Secagem' funciona e Felipe Fumaça e Léo Castro terminam artilheiros
Diferentemente de Fumaça, Léo Castro já está mais acostumado com a artilharia. Maior marcador da Copa Paulista no ano passado, o atacante repetiu a dose neste ano, desta vez pelo Red Bull. “Acompanhei os jogos e as finais. Sabia que fiz um bom campeonato. É um feito importante. Fui artilheiro pela Ferroviária em 2017 e agora consegui novamente”, disse o primeiro atleta na história a ser artilheiro da competição em edições consecutivas. Antes, apenas Henan havia sido artilheiro em duas edições diferentes (2010 e 2014).

Além das artilharias da Copa Paulista, o atleta também foi quem mais marcou na Série A3 de 2017, quando atuou pelo Nacional.

“Faz dois anos que comecei a atuar como centroavante e tenho feito bastante gols. Isso chama a atenção. Sei que tem bastante gente observando e isso motiva a alcançar outras marcas”, completou.Na média de gols, Felipe Fumaça foi melhor. O atacante do Olímpia atuou em 16 jogos e teve média de 0,69 por partida. Já Léo Castro atuou em 20 jogos e teve média de 0,55 gols.

VICE-ARTILHEIROS
Finalistas, Bruno Baio e Tom eram os concorrentes mais próximos que poderiam ultrapassar Felipe e Léo. Ambos iniciaram a final com nove gols. Bruno Baio fez na ida e Tom marcou no jogo de volta finalizando com 10 gols.

 
 
" />