Após vexame em 2018, Itália busca recorde histórico de vitórias seguidas

Os italianos estão em recuperação depois de terem ficado fora da Copa do Mundo do ano passado

por Agência Estado

São Paulo, SP, 16 - Depois de ficar de fora da Copa do Mundo da Rússia, em 2018, a seleção italiana recuperou parte de seu prestígio nas Eliminatórias da Eurocopa de 2020, ao obter a classificação antecipada para a competição em três rodadas para o fim do qualificatório.

Mas a goleada de terça-feira sobre Liechtenstein, por 5 a 0, fora de casa, fez a Itália igualar a marca de nove vitórias consecutivas, obtida pela equipe do lendário técnico Vittorio Pozzo entre 1938 e 1939. No primeiro destes anos, o país conquistou o seu segundo Mundial, depois de também ter erguido a taça em 1934.

Um triunfo sobre a Bósnia-Herzegovina, no próximo dia 15 de novembro, em novo compromisso como visitante, estabelecerá uma nova marca para os tetracampeões mundiais.

"Não estou interessado no recorde de vitórias consecutivas, significaria mais ganhar duas Copas do Mundo e uma Olimpíada como ele (Pozzo), mas eu me contentaria com o Campeonato Europeu", disse o sorridente técnico Roberto Mancini, se referindo à Eurocopa que será realizada no próximo ano.

A seleção italiana tem nove vitórias seguidas
A seleção italiana tem nove vitórias seguidas
A CAMPANHA
A Itália venceu todos os oito jogos no Grupo J das Eliminatórias da Euro de 2020, marcando 25 gols e sofrendo apenas três, contra Grécia, Finlândia, Armênia, Bósnia-Herzegovina e Liechtenstein. A equipe nacional ganhou também dos Estados Unidos em um amistoso disputado em novembro do ano passado, somando assim os nove triunfos seguidos.

Dos 26 gols, 11 foram marcados nos dois jogos contra o Liechtenstein e Andrea Belotti foi o artilheiro com duas bolas na rede em cada duelo.

"Estou muito feliz com o desempenho meu e da equipe. Fizemos o que o nosso técnico pediu e as coisas deram certo. Somos um time mais confiante", afirmou o jogador.

DISPUTA ACIRRADA
Belotti vai disputar com Ciro Immobile a vaga no comando do ataque italiano na Eurocopa, mas garante que não há rivalidade com seu ex-companheiro de Torino.

"Ciro é um grande amigo dentro e fora de campo", disse o atacante.

Depois de encarar a Bósnia-Herzegovina, os italianos terão como último adversário nas Eliminatórias da Euro-2020 a Armênia, em 18 de novembro, em casa, na cidade de Palermo.