Umberto Louzer terá que mexer em jogo que pode aproximar a Chapecoense do título

Com o empate sem gols do América-MG diante do Confiança, a Chape poderá abrir vantagem na liderança

por Agência Futebol Interior

Chapecó, SC, 24 (AFI) - O técnico Umberto Louzer terá que fazer mudanças na Chapecoense para o duelo sulista contra o Operário nesta segunda-feira, às 17 horas, no Germano Kruger, em Ponta Grossa, pela 37ª e penúltima rodada da Série B do Campeonato Brasileiro.

No sistema defensivo, o treinador terá a volta de Derlan, que cumpriu suspensão na vitória, por 1 a 0, sobre a Ponte Preta. O defensor deverá voltar no lugar de Felipe Santana. Recuperado de lesão, Anderson Leite brigará por posição com Ronei.

No ataque, duas mudanças. Lesionado, Mike dará lugar a Aylon. Já Perotti ficará na vaga de Paulinho Moccellin. O atacante sofreu duas lesões na perna esquerda. A primeira foi o rompimento dos ligamentos do tornozelo, além de uma fratura da fíbula. Ele passou por uma cirurgia para reconstrução dos ligamentos, em um hospital de Chapecó. Ainda não há previsão de retornos aos gramados.

NO DM!
A Chapecoense segue com outros cinco atletas lesionados: Busanello, Joílson, Tharlis, Thiago Ribeiro e Tiepo.

Confiança total. (Foto: Márcio Cunha / Chapecoense)
Confiança total. (Foto: Márcio Cunha / Chapecoense)
Com o empate sem gols do América-MG diante do Confiança, a Chape poderá abrir vantagem na liderança e ficar a um ponto do inédito título nacional. Hoje, os catarinenses somam os mesmos 70 pontos dos mineiros, mas levam vantagem no saldo de gols (21 a 19).

"Temos duas grandes partidas em sequência e que serão difíceis, temos que manter o foco e impor o nosso jogo como sempre fizemos. O time está unido e vamos com tudo para conquistar estes três pontos fora e depois precisamos fazer a lição de casa e, se Deus quiser, no final de tudo nós voltaremos com o título", disse Denner.

CHAPECOENSE - João Ricardo; Matheus Ribeiro, Derlan, Luiz Otávio e Alan Ruschel; Willian Oliveira, Ronei (Anderson Leite) e Denner; Perotti, Aylon e Anselmo Ramon.