Catarinense: Em três anos, Louzer conquista segundo título estadual da carreira

O treinador tirou a Chapecoense da zona de rebaixamento e levou ao título

por Agência Futebol Interior

Chapecó, SC, 14 (AFI) - O técnico Umberto Louzer conquistou no último domingo seu segundo título estadual da carreira. O treinador levou a Chapecoense à final do Campeonato Catarinense 2020 e colocou mais um troféu estadual em sua estante ao bater o Brusque nas duas partidas da decisão. A conquista desta temporada se junta a do Paulista da A2, em 2018, com o Guarani.

Umberto Louzer está agora ao lado de Vágner Mancini, Guto Ferreira, Mauro Ovelha e Agenor Piccinin, campeões catarinense com a Chapecoense no século XXI. Na quinta final consecutiva da Chape, Louzer conseguiu acabar com o jejum de três anos sem título com uma campanha irretocável de recuperação.

O capixaba assumiu a Chapecoense na sétima rodada, na zona de rebaixamento, e além de salvar o time conquistou a classificação a segunda fase. Nas quartas de final superou Avaí, na semi o Criciúma e na grande final o Brusque. A trajetória do treinador até o título foi de: (oito jogos, cinco vitórias, dois empates e apenas uma derrotas. Foram 12 gols marcados e apenas três sofridos.

"O título aproxima ainda mais o torcedor, que vê o grupo se entregando. Aqui lutamos do início ao fim. Fomos premiados, mas foi fruto do que construímos. Não é fácil sair de lá de trás e classificar. passamos por adversários complicados e encaramos um Brusque bem armado pelo Jersinho. Somou muitos pontos dentro da competição, mas superamos", explicou o treinador.

Apesar de ser um dos principais responsáveis pela recuperação no Campeonato Catarinense, Umberto Louzer fez questão de apontar os atletas como protagonistas da retomada e da conquista consequentemente.

"O título representa e muito a todos nós que estamos na Chape. Pegamos o clube em último lugar. Mérito é deles (atletas) que acreditaram e resgataram a confiança, e fomos premiados com o título. Os protagonistas são os atletas e os torcedores. Valorizo esse grupo que me abraçou muito bem. Precisávamos coroar com título pelos momentos difíceis que passamos. Eles tiveram lucidez e pés no chão", finalizou.

O título também é o segundo do auxiliar Gabriel Remédio e o preparador físico Marcelo Rohling que também estavam presentes em 2018 na comissão técnica do Guarani.

"É bacana ter essa conquista novamente ao lado deles e agora com o Felipe (Endres). Aproveito também para agradecer toda a comissão, staff e diretoria que sempre deram o que precisamos para suprir nossas necessidades e facilitar nosso trabalho. Há realmente um sentimento de união com todos focados em um só objetivo", explicou.