Zagueiro da Chapecoense revela estranheza em ficar em casa e prega paciência

Ele, assim como a maioria dos jogadores, tem treinado em casa por conta do coronavírus

por Agência Futebol Interior

Chapecó, SC, 25 (AFI) - Um atleta profissional quase nunca fica em casa. A rotina de treinos e jogos deixa os jogadores longe da família. Nos últimos dias, porém, atletas de todo o mundo não têm ido mais a campo. Os treinos e o tempo passado é em casa. Não por acaso, o zagueiro Joilson, da Chapecoense, diz estranhar tanto tempo longe do clube.

"É até estranho ficar tanto tempo em casa nesse período. Geralmente, essa é uma época em que estamos acelerando o ritmo para as decisões do estadual e planejando o Campeonato Brasileiro. Mas, infelizmente, por conta de toda essa situação que afeta o mundo inteiro, tivemos que mudar os planos", disse ele.

"Agora é ter paciência e cumprir as orientações de ficar em casa, é o melhor que podemos fazer", revelou o jogador de 28 anos, que é natural de Osasco, São Paulo.

Treinos em casa. (Foto: Márcio Cunha / Chapecoense)
Treinos em casa. (Foto: Márcio Cunha / Chapecoense)
SEM PARAR!

Mesmo em casa, Joilson tem seguido a cartilha da Chapecoense. E isso dá uma rotina de treinos e alimentação ao defensor.

"A gente faz o que pode. Claro que limita bastante, mas sempre tem um jeito. A Chapecoense passou uma planilha de exercícios e estou seguindo para tentar amenizar o tempo que ficaremos sem poder treinar normalmente. Faz parte desse processo. Espero que todos fiquem bem durante esse período e que logo a situação volte ao normal em todos os países", concluiu.

A Chapecoense, assim como a maioria dos clubes, está de folga. Após passar a maior parte do tempo na zona de rebaixamento do Campeonato Catarinense, o time de Chapecó conseguiu se classificar às quartas de final e, com a oitava e última vaga, enfrentará o líder Avaí. A Federação Catarinense de Futebol (FCF) ainda não divulgou as datas e nem os horários.