Lateral questiona mudança de técnico na Chape: "Não adianta nem vir o Guardiola"

Para Eduardo, a culpa da situação atual do clube é dos jogadores e o técnico Emerson Cris deveria permanecer no cargo

por Agência Futebol Interior

Chapecó, SC, 12 (AFI) – Após encerrar as negociações com Lisca, a Chapecoense segue com o interino Emerson Cris no comando e em busca de um novo treinador.

O lateral-direito Eduardo, um dos líderes do elenco, chamou para os jogadores a responsabilidade da situação atual da Chapecoense e acredita que trocar o treinador não vai fazer diferença.

“Não adianta nem vir o Guardiola se os jogadores não se conscientizarem de que temos que dar mais e fazer algo a mais para sair dessa zona horrível. A gente vem sofrendo muito com isso e temos que sair o mais rápido possível, pontuar o máximo possível. Só nós jogadores podemos mudar isso”, disse.

O lateral ainda defende a permanência de Emerson Cris e deixou claro que gostaria de seguir com ele no comando.

“Confiamos muito no trabalho do Cris, mas temos que fazer mais. Temos mais dívidas com ele do que o contrário. O trabalho dele é bom, ele vem se qualificando, entende muito de futebol, tem vasto conhecimento. Às vezes as pessoas não dão tanta credibilidade porque ele é da casa”, finalizou.

RENATO DE VOLTA
Enquanto não encontra um substituto para o comando técnico, a Chapecoense teve ao menos uma boa notícia. O meia Renato se recuperou de uma lesão na fíbula e volta a ficar à disposição no próximo sábado, em partida contra o Vasco.

“Estou pronto para ajudar caso a comissão técnica opte pela minha convocação. Esse é o momento onde todos precisam estar na mesma sintonia para que a gente consiga sair dessa zona perigosa o mais rápido possível”, disse Renato.