Torcida protesta e Ceará recua na contratação de goleiro acusado de espancar a mulher

Em 18 de dezembro, Jean foi preso acusado de espancar sua esposa, Milena Benfica, em Orlando, nos Estados Unidos

por Agência Futebol Interior

Fortaleza, CE, 07 (AFI) - O goleiro Jean não vestirá mais a camisa do Ceará e graças a consciente torcida do Vozão que protestou nas redes sociais. Tão logo ficaram sabendo do interesse do clube do coração em contratar o jogador do São Paulo, os torcedores criaram hashtags #JeanNao e #JeanNoCearaNão.

E a pressão deu resultado. A diretoria alvinegra desistiu de Jean e já busca outros nomes para a temporada 2020. Em 18 de dezembro, Jean foi preso acusado de espancar sua esposa, Milena Benfica, em Orlando, nos Estados Unidos. A mulher divulgou as agressões numa série de “stories” em seu perfil na rede social Instagram. O suficiente para o mesmo ser preso por policiais americanos na manhã do dia seguinte.

Nada de joinha. (Foto: Rubens Chiri / São Paulo)
Nada de joinha. (Foto: Rubens Chiri / São Paulo)
O São Paulo, com quem tem contrato, repudiou a agressão do goleiro e optou pela rescisão do seu contrato. Contudo, deixou para definir a situação do atleta após a reapresentação do elenco, marcada para a próxima quarta-feira. Havendo o aval jurídico, o vínculo será rescindido. Do contrário, o mesmo deverá sem negociado por empréstimo ou de forma definitiva.

Desde que chegou ao São Paulo, Jean realizou 18 jogos em 2018 e apenas um jogo em 2019. Chegou ao Morumbi após ótima passagem pelo Bahia, onde se destacou em baixo das traves e também cobrando faltas. Contudo, nunca teve a confiança do Tricolor para assumir a titularidade.

Em meio a esta negociação, o Ceará se reapresentou visando a estreia na Copa do Nordeste, marcada para o dia 26 de janeiro, contra o Freipaulistano, no Castelão.