Lisca bate boca com repórter de Curitiba e alfineta ex-técnico do Paraná

Em 2017, enquanto dirigia o Paraná na Série B, o técnico foi demitido de forma surpreendente pela diretoria

por Agência Futebol Interior

Curitiba, PR, 06 (AFI) – Lisca voltou a chamar a atenção dos holofotes no último domingo. De volta a Vila Capanema, o treinador bateu boca com o repórter Dorival Crispim, da Rádio Transamérica de Curitiba, durante a coletiva de imprensa. Em 2017, enquanto dirigia o Paraná na Série B do Campeonato Brasileiro, o técnico foi demitido de forma surpreendente pela diretoria, em setembro, que alegava uma confusão com a comissão técnica. No final ainda alfinetou Matheus Costa, seu ex-auxiliar e o grande pivô da demissão.

Crispim questionava o treinador: “Teve alguma hostilidade na sua chegada? Foi tudo tranquilo? No final ali parece que teve um burburinho, alguém teria falado alguma coisa, teve isso ou não?”, mas Lisca o interrompeu, indignado com a pergunta: “Já inventaram história? Você está inventando! Burburinho com quem? Burburinho de quem?”. O repórter alegou ter visto alguém da comissão técnica do Paraná falando alguma coisa para o técnico.

O bate boca mudou de tom quando Dorival Crispim disse para “pegar as imagens e ver”. O técnico concordou: “Então tu pega a imagem, tu pega a imagem e vê então. Porque eu estou cansado dessa invenção de história aqui (Curitiba). Vocês já me julgaram aqui, já me condenaram... não, beleza, velho. Você tá inventando uma história. Você está inventando uma história!”. O repórter alegou que não era mentiroso e Lisca pediu mais uma vez para ver as imagens.

Lisca bate boca com repórter de Curitiba e alfineta ex-técnico do Paraná
Lisca bate boca com repórter de Curitiba e alfineta ex-técnico do Paraná
“Que burburinho, cara? Ninguém falou comigo, os caras me trataram super bem”, disse Lisca, que complementou: “Não teve nada disso. Cumprimentei todos os jogadores do Paraná, o Micale, a comissão técnica. Os caras são show de bola, são profissionais. Não teve nada disso. Desculpa se eu fui grosso contigo, mas é que eu estou cansado de falarem, viram, disseram e ninguém viu nada", completou o treinador.

Ainda na entrevista, Lisca aproveitou para alfinetar o Paraná: "Minha relação com a 'Fúria' e com a torcida é muito legal. Foi a torcida que me substituiu e subiu com o Paraná. O Paraná subiu sem treinador. Falei em uma reunião que agora o time nem precisa de treinador e aí acabei me dando mal, foi o que aconteceu. Mas é um carinho muito grande. Um dia vou voltar a trabalhar aqui, podem ter certeza".

O Paraná subiu da Série B sob o comando de Matheus Costa, até então auxiliar de Lisca e que alegou ter sido agredido pelo técnico. Quase um ano depois, o treinador voltou a encontrar o clube de Curitiba, agora comandando o Ceará, e venceu por 1 a 0, com um golaço de Juninho Quixadá, pela 17ª rodada do Campeonato Brasileiro.

 
 
" />