CATARINENSE: Enquanto Tubarão é rebaixado, Brusque e Chapecoense definem o título

Estadual de Santa Catarina passará a ser disputado por 12 times a partir da próxima temporada, já que três vão subir da Série B

por Agência Futebol Interior

Florianópolis, SC, 05 (AFI) - A Chapecoense é a segunda classificada para a decisão do Campeonato Catarinense. Na noite desta quarta-feira, pela rodada de volta da semifinal, visitou o Criciúma, no estádio Heriberto Hülse, em Criciúma, e perdeu por 1 a 0, mesmo placar que havia anotado na ida. Nos pênaltis, vitória por 4 a 2.

O adversário na luta pelo título será o Brusque, que segurou o empate sem gols, no estádio Augusto Bauer, em Brusque, e se classificou para a final estadual após hiato de 28 anos por ter vencido o Juventus, na ida, por 3 a 2, no João Marcatto, em Jaraguá do Sul. A equipe quadricolor, aliás, será mandante no segundo confronto.

O dia ainda teve o rebaixamento do Tubarão, que perdeu, por 2 a 1, para o Concórdia e não conseguiu reverter a derrota, por 2 a 0, no primeiro duelo do playoff contra a queda. Vale destacar que a Série A do Campeonato Catarinense, disputada por 10 clubes em 2020, terá mais times na próxima temporada - 12, já que três times subirão da Série B.

Foto: Márcio Cunha/ACF
Foto: Márcio Cunha/ACF

PRIMEIRO TEMPO NO HERIBERTO HÜLSE
Logo aos quatro minutos da etapa inicial, o Criciúma conseguiu abrir o placar. Após escanteio curto, Jajá bateu ‘fechadinho’ na área e encontrou Foguinho, nas costas de Joílson. O volante se esticou e, de carrinho, mandou para o fundo do barbante.

A Chapecoense não se abateu e deu a resposta na sequência. Aos sete, Paulinho Moccelin apostou em jogada individual, puxou para a direita e finalizou, forte, mas parou em Agenor. No rebote, Matheus Ribeiro testou de cabeça e também ficou em defesa do goleiro.

O ritmo seguiu intenso, tanto que os donos da casa quase ampliaram pouco depois. Aos oito, Victor Guilherme entrou na área após boa trama e tentou colocar na saída de João Ricardo. O goleiro, porém, se movimentou bem para fazer a intervenção.

Depois do forte início de partida, o confronto entre as equipes interioranas perdeu intensidade. Enquanto os mandantes apostaram em descidas de Victor Guilherme e Jean Dias, os visitantes tentaram pelo lado direito, mas nada de maior importância.

ETAPA FINAL EM CRICIÚMA
Diferentemente da primeira metade, o segundo tempo começou devagar. Tanto que o primeiro lance de algum perigo saiu apenas aos 11 minutos. Volante do Criciúma, Eduardo arriscou após sobra de escanteio. João Ricardo fez a defesa.

E, apesar de encontrar dificuldades para criar boas oportunidades, foram os donos da casa que ditaram o ritmo de boa parte do confronto. Os mandantes apostaram na velocidade de Jean Dias e Victor Guilherme pelo lado direito para atazanar os rivais.

A Chapecoense, por outro lado, só conseguiu ameaçar após o técnico Umberto Louzer promover três alterações no finalzinho. E um dos que entrou, o centroavante Anselmo Ramon, foi quem protagonizou os dois lances.

Primeiro, aos 34, complementou cruzamento de Alan Grafite e mandou tirando tinta da trave. Já aos 36, Foguinho, outro que acabara de entrar em campo, carregou a bola e arriscou. O veterano atacante voltou a aparecer e desviou a batida. De novo, mandou para fora.

DISPUTA DE PÊNALTIS
Nas penalidades máximas, o Criciúma converteu apenas duas, com Agenor e Vitão - Foguinho e Jean Dias desperdiçaram. Já a Chapecoense, cujo único desperdício saiu dos pés de Ezequiel, marcou com Derlan, Paulinho Moccelin, Luiz Otávio e Anselmo Ramon.

Confira os resultados da 2ª rodada
Brusque-SC
0
x
0
Juventus
Criciúma
1
x
0
Chapecoense
Confira os resultados da 2ª rodada
Concórdia
2
x
1
Tubarão-SC