CARIOCA: Primeiro jogo com transmissão no retorno do futebol acaba sem vencedor

Na tarde desta sexta-feira (19), Portuguesa-RJ e Boavista ficaram no empate sem gols no Estádio Luso-Brasileiro

por Agência Futebol Interior

Rio de Janeiro, RJ, 19 (AFI) - O futebol brasileiro vai voltando aos poucos e na tarde desta sexta-feira (19) aconteceu o segundo duelo do Campeonato Carioca nesta retomada em meio a pandemia do novo coronavírus, sendo o primeiro com transmissão televisiva. Em uma partida bastante aberta, Portuguesa-RJ e Boavista ficaram no empate sem gols no Estádio Luso-Brasileiro. O time visitante ficou com um jogador a mais durante todo o segundo tempo, mas não aproveitou a vantagem numérica.

Com o resultado, os dois times seguem na briga pela classificação para às semifinais da Taça Rio, segundo turno do Campeonato Carioca. O Boavista aparece na segunda colocação com sete pontos, enquanto a Portuguesa vem logo atrás, em terceiro, com quatro. A chave ainda tem o Botafogo também com quatro e o Flamengo na liderança e classificado, com 12.

PRIMEIRO TEMPO
A partida começou bastante movimentada, tanto que o primeiro gol do jogo saiu logo aos quatro minutos, marcado pela Portuguesa, mas estava anulado. Adriano recebeu um passe açucarado na área e tocou na saída do goleiro Klever, mas como estava em posição irregular no lance, o árbitro marcou impedimento. A resposta do Boavista veio em uma cobrança de falta de Jean, aos 19, que tirou tinta da trave de Milton Raphael.

Portuguesa-RJ e Boavista ficaram no empate sem gols no Estádio Luso-Brasileiro
Portuguesa-RJ e Boavista ficaram no empate sem gols no Estádio Luso-Brasileiro
Apesar disso, foi a Portuguesa que seguiu pressionando e teve quadro boas chances de tirar o zero do placar nos minutos finais do primeiro tempo. Aos 25, Romarinho pegou a sobra, mas desequilibrado, chutou para fora. Já aos 31, foi a vez de Chay bater cruzado, em um bonito lance, que saiu rente a trave. Nos outros dois lances, o camisa 10 da Lusa parou em boas defesas do goleiro Klever e por isso, o primeiro tempo terminou zerado.

SEGUNDO TEMPO
Na volta do intervalo, as duas equipes seguiram em cima, tentando tirar o zero do placar. E, logo no primeiro minuto, a Portuguesa ficou em desvantagem numérica, após a expulsão do atacante Cafu, por falta dura. Com mais espaço, o Boavista se mandou para o ataque. Aos 13, Tartá fez grande jogada e cruzou para Michel, que cabeceou firme, mas mandou para fora. Já aos 17, veio a resposta da Portuguesa, em um chute de Luis Gustavo, que saiu por cima do gol.

Com o jogo aberto, o Boavista criou mais duas boas chances. Aos 23, Michel aproveitou o cochilo da defesa adversária, invadiu a área e bateu firme, mas parou na boa defesa do Milton Raphael. No minuto final, foi a vez do goleiro da Lusa fazer um verdadeiro milagre, quando Pecel limpou a marcação e bateu de direita, mas o arqueiro pegou no reflexo. Até por conta disso, o duelo terminou empatado em gols.

PRÓXIMOS JOGOS
Ainda sem a confirmação de horário e datas pela Ferj, os dois times devem voltar a campo no meio da próxima semana. O Boavista encara o Flamengo, fora de casa, no Estádio do Maracanã. Enquanto, a Portuguesa recebe o Botafogo, no Estádio Luso Brasileiro.

Ficha Técnica

Fase
Fase de Grupos da Taça Rio
Rodada
4ª rodada
Data
19/06/2020
Horário
15h30
Local
Luso Brasileiro - Rio de Janeiro (RJ)
Árbitro
Bruno Arleu de Araújo

Renda
Sem público
Assistentes
Rodrigo Figueredo Henrique Corrêa e Thiago Henrique Neto Corrêa Farinha

Público
Sem público
Cartões Amarelos
Portuguesa: Luis Gustavo, Muniz, Cafu
Boavista: Erick Flores, Thiago Mosquito, Fernando Bob

Cartões Vermelhos
Portuguesa: Cafu
Portuguesa
Milton Raphael;
Luis Gustavo, Dilsinho, Diego Guerra e Mauro Gabriel;
Muniz (Pedro Carrerete), Henrique (Marcão) e Romarinho (André Silva);
Chay (Matheus Pimenta), Adriano e Cafu.
Técnico: Rogério Corrêa
Boavista
Klever;
Douglas Pedroso, Elivelton, Victor Pereira (Thiago Silva) e Jean;
Fernando Bob, Jefferson Renan, Erick Flores (Romarinho), Tartá (Renan Donizete) e Michel;
Thiago Mosquito (Pecel).
Técnico: Paulo Bonamigo