'Parça' de Zico e Júnior, dono da JJ Invest é procurado por crimes financeiros

Empresa de Jonas Jaimovick chegou a patrocinar mais de uma dezena de clubes do Rio de Janeiro

por Agência Futebol Interior

Rio de janeiro, RJ, 15 (AFI) - A Justiça Federal do Rio de Janeiro decretou a prisão preventiva do empresário Jonas Jaimovick, dono da empresa JJ Invets, que é acusado de violar três artigos da 'Lei do Colarinho Branco'. Caso condenado, ele poderia pegar entre seis e 22 anos de prisão, além de ter que pagar multas.

De acordo com o Banco Nacional de Monitoramento de Prisões (BNMP), o mandado foi expedido no último dia 7 de junho pela 2ª Vara Federal Criminal do Rio de Janeiro, mas ainda não conseguiu ser cumprido.

Com base em três tipificações penais referentes à lei 7.492, de 1986, JJ é acusado de "fazer operar, sem a devida autorização, ou com autorização obtida mediante declaração falsa, instituição financeira, inclusive de distribuição de valores mobiliários ou de câmbio", de "gerir fraudulentamente instituição financeira" e de "apropriar-se de dinheiro, título, valor ou qualquer outro bem móvel de que tem a posse, ou desviá-lo em proveito próprio ou alheio."

Jonas Jaimovick (d) e Zico (e) na sede da empresa, em Copacabana - Foto: Reprodução
Jonas Jaimovick (d) e Zico (e) na sede da empresa, em Copacabana - Foto: Reprodução
Ou seja, a JJ Invests não teria autorização para operar. Apesar disso, o empresário sumiu em fevereiro com R$ 170 milhões, lesando uma carteira de 3 mil clientes.

Entre os parceiros, destaque para os ídolos do Flamengo, o ex-meia-atacante Zico e o ex-lateral Júnior. E as relações com o futebol não param por aí.

A JJ Invest chegou a patrocinar mais de uma dezena de clubes do Rio de Janeiro. O Vasco foi um deles - o acordo foi rompido em junho, por falta de pagamentos. No Goytacaz, a empresa bancava a comissão técnica liderada por Athirson, ex-lateral do Flamengo, ao custo mensal de R$ 30 mil.