Adeus ao treinador Lula Pereira

Treinador morreu aos 64 anos de idade

por ARIOVALDO IZAC - -

Lula Pereira foi o sétimo treinador de futebol, com passagens pelo Guarani, que morreu no período de 12 meses. O falecimento dele ocorreu em Fortaleza (CE) neste sete de fevereiro, decorrente de saúde debilitada após ter sido vítima de um AVC (acidente vascular cerebral) em 2019.

Luiz Carlos Bezerra Pereira, pernambucano de 64 anos de idade, natural de Olinda, teve trajetória no futebol como jogador, técnico e dirigente esportivo.

Enquanto atleta, acusou passagens por Sport Recife, Ceará e Santa Cruz. A função de treinador foi exercida em dezenas de clubes no período de 1988 a 2012.

GUARANI

Ele despertou interesse do Guarani após recomendável passagem pelo União São João de Araras, onde foi campeão. Esteve em Campinas em 1997, porém com passagem efêmera devido aos maus resultados.

No entanto, consta no currículo dele títulos estaduais conquistados pelo América Mineiro, Figueirense, Ceará e em três clubes paulistas: além do União São João de Araras, Rio Branco de Americana e Botafogo de Ribeirão Preto.

Ele ficou desempregado durante quatro anos, voltando ao meio como dirigente esportivo do Ferroviário (CE) em 2016.

MOTIVADOR

Quando começou a dirigir equipes de futebol, Lula Pereira foi um dos raros treinadores negros, para na sequência se observar, indistintamente, abertura de espaço para todas as raças. Apesar dos títulos conquistados, o perfil dele foi de profissional motivador de elencos e psicologia para ajudar atletas em soluções de problemas internos e fora de campo.

FLAMENGO

Seria exagero rotulá-lo como treinador estrategista ou quem achava alternativas mais viáveis nas montagens de equipes. Apesar disso, chegou a ser contratado para comandar o Flamengo em 2002, mas não suportou resultados desastrosos e acabou desligado do clube.

Além de Lula Pereira, outros seis treinadores falecidos no período de um ano, com passagens pelo Guarani, foram José Luiz Carbone, pouco antes da virada do ano passado; Eli Carlos, Marcelo Veiga, vítima de Covid-19; Luiz Carlos Ferreira, o Ferreirão; Oswaldo Alvares, o Vadão, e Flamarion Nunes Tomazole.

Carbone dirigiu a equipe que chegou à final do Paulistão de 1988, e ficou com o vice-campeonato na disputa com o Corinthians.