De Tulião para o consagrado Mauro Silva; essa foi a trajetória do volante

De Tulião para o consagrado Mauro Silva; essa foi a trajetória do volante

por ARIOVALDO IZAC - -

Em 1985, quando integrava a categoria juniores do Guarani, o então volante Mauro Silva, 1,80m de altura, trocava uniforme de treino por terno sem gravata no começo da noite. E com bíblia embaixo do braço seguia a culto evangélico, o que provocava ironia de companheiros, identificando-o como ‘pastor’.

Prosperou, todavia, o apelido de Mauro Getulião, por causa da semelhança à grande cabeça do mineiro Getúlio, maldosamente identificado com GG da cara grande nos tempos de lateral-direito do São Paulo.

Mauro Silva na Seleção em 1994
Mauro Silva na Seleção em 1994
Depois optaram pela redução do apelido para Tulião, considerando-se ser mais sorono. Isso até o saudoso treinador dos juniores do Guarani, Pupo Gimenez, pedir à imprensa que identificasse o atleta pelo nome de registro.

Do contrário, o volante se consagraria tetracampeão mundial nos Estados Unidos, em 1994, como Mauro Tulião.

LESÕES

Profissionalizado em 1986, Mauro Silva não conseguiu se firmar como titular do Guarani, e ainda sofreu lesões que o rotularam de jogador ‘bichado’. Assim, em 1990 teve o passe negociado por Cr$ 100 mil ao Bragantino, uma bagatela projetando-se atualização para a moeda corrente no Brasil.

No Bragantino surgiu um Mauro Silva então desconhecido dos tempos de Guarani: exato tempo de bola para antecipação de jogadas, capacidade para desarme e acerto na maioria dos passes.

Assim, ele teve participação ativa no Bragantino vice-campeão Brasileiro de 1991, e acabou levado ao Deportivo La Coruña da Espanha para uma carreira que se estendeu até 2005, aos 37 anos de idade.

Ainda esbanjando invejável forma física, recusou convite para defender o São Paulo, justificando que não queria correr risco de arranhar a imagem.

SELEÇÃO BRASILEIRA

A singular história de Mauro Silva mostra que recusou convocação à Seleção Brasileira em 2001, mas três anos depois aceitou convite da CBF para integrar a comissão técnica do treinador Dunga.

Nascido em São Bernardo do Campo (SP), ele mora em São Paulo e trabalha no ramo imobiliário.

Este 2018 tem-lhe sido marcante. Primeiro porque em janeiro completou 50 anos de idade. Já em abril foi homenageado pela cidade de La Coruña, tendo rua batizada com o seu nome, reconhecimento por ter sido o segundo jogador com maior número de partidas da história do clube: 471.

 
 
" />