CSA evita pensar em permanência e foca em encerrar jejum

Nova oportunidade para isso virá nesta quinta-feira, em duelo contra o Cruzeiro, marcado para as 21h30, no Mineirão, pela 35ª rodada

por Agência Futebol Interior

Maceió, AL, 27 (AFI) - O CSA chegou a alimentar esperanças genuínas de escapar do rebaixamento no Brasileirão, mas a série de cinco derrotas nas últimas rodadas complicou bastante a situação. Até por isso, pouco se fala sobre a possibilidade de permanência na elite. O foco do momento é o de encerrar o jejum de vitórias, e uma nova oportunidade para isso virá nesta quinta-feira, em duelo contra o Cruzeiro, marcado para as 21h30, no Mineirão, pela 35ª rodada.

“Vamos trabalhar e procurar ficar numa posição honrosa dentro da competição. Vamos tentar fazer o máximo de pontos possíveis. Cada um aqui é profissional e é isso que cobramos dos jogadores. Os atletas têm dado tudo. Ninguém aqui se nega. Os jogadores quando entram em campo tentam dar a vida. Mas o futebol não é só correr, não é só competir, o futebol precisa ter qualidade”, afirmou o técnico Argel Fucks.

Em 18ª lugar, com 29 pontos, o CSA está sete pontos atrás do Cruzeiro, que aparece logo acima, em 17º lugar, primeira posição dentro da zona do rebaixamento. Depois do confronto direto entre os dois, restarão apenas três rodadas para o fim da disputa, por isso o time alagoano precisaria fazer uma reta final perfeita e ainda torcer contra rivais diretos para se manter na divisão.

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação
TIME
Argel preferiu não revelar a escalação que será utilizada em Belo Horizonte. Ele até pode repetir o time que perdeu por 1 a 0 para o Fluminense, na rodada passada, mas a tendência é que faça mudanças.

Uma delas pode ser a entrada de Rafinha na lateral esquerda, em movimento que deslocaria Euller para o meio de campo e colocaria Bruno Alves no banco de reservas. Argel também considera utilizar o meia Warley ou volante Nilton, mas, nesse caso, Rafinha ficaria de fora e Euller continuaria na esquerda.

O CSA deve jogar com Jordi; Dawhan, Alan Costa, Castán e Rafinha (Warley ou Nilton); João Vítor, Jean Cléber, Jonatan Gomez e Euller; Apodi e Ricardo Bueno.