Após perder Argel e 'efetivar' ídolo, CSA tenta se reconstruir contra o rebaixamento

Para este confronto, o Azulão do Mutange não poderá contar com o meia argentino Jonatan Gómez, que recebeu o terceiro cartão amarelo

por Agência Futebol Interior

Maceió, AL, 29 (AFI) - Juntar os cacos e se reconstruir rapidamente. Esse é o objetivo do CSA na reta final do Campeonato Brasileiro. Afinal, o clube alagoano perdeu o técnico Argel Fucks para um "convite muito forte" vindo do Ceará, segundo palavras do próprio comandante.

Para os últimos três jogos, que são vitais na luta contra o rebaixamento, a equipe nordestina será dirigida por Jacozinho, que tem o cargo de auxiliar técnico permanente e foi ídolo azulino como jogador durante a década de 1980.

"Acredito estar preparado para mais este teste, confiante de que podemos tentar buscar essa permanência. Sabemos que é difícil, mas temos esperança", chegou a declarar Jacozinho.

E a primeira 'decisão' para tentar a permanência acontece neste domingo, às 18h, diante do Bahia, no estádio Rei Pelé, em Maceió (AL), pela 36.ª rodada do Brasileirão. No momento, o time de Maceió ocupa a 18.ª colocação, com 32 pontos, cinco abaixo do Ceará, primeiro fora do Z-4. Depois, terá Chapecoense, fora, e São Paulo, em casa.

Para este confronto, o CSA não poderá contar com o meia argentino Jonatan Gómez, que recebeu o terceiro cartão amarelo na vitória por 1 a 0 sobre o Cruzeiro, fora de casa, na última quinta-feira.

Jacozinho - Foto: Augusto Oliveira/R. Cortez/CSA
Jacozinho - Foto: Augusto Oliveira/R. Cortez/CSA

Dessa forma, a tendência é que Jean Cléber, mais ofensivo, ou Warley, mais defensivo, deve entre no setor. Caso queira deixar a equipe alagoana com três atacantes, Bruno Alves é outra opção. De qualquer forma, a tendência é que a escalação seja confirmada momentos antes do duelo.

O CSA, portanto, deve entrar em campo com: Jordi; Dawhan, Alan Costa, Luciano Castán e Rafinha; João Vítor, Nilton, Euller e Jean Cléber (Warley ou Bruno Alves); Apodi e Ricardo Bueno.