Ex-técnico do Corinthians testa positivo para novo coronavírus

No grupo de risco, já quem tem 70 anos, Nelsinho Batista já está em isolamento e não comandará seu time na final da Copa da Liga

por Agência Futebol Interior

São Paulo, SP, 03 (AFI) - Nem mesmo o Japão, país disciplinado, tem escapado de casos de Covid-19. O técnico brasileiro Nelsinho Batista testou positivo para o novo coronavírus, informou o Kashiwa Reysol, nesta terça-feira.

No grupo de risco, já quem tem 70 anos, Nelsinho Batista já está em isolamento e não comandará seu time na final da Copa da Liga no próximo sábado contra o FC Tokyo. O duelo do Kashiwa Reysol contra o Vegalta Sendai pelo Campeonato Japonês, aliás, foi adiado.

Nelsinho Batista começou a sentir os sintomas no domingo, após comandar seu último treino. Ele teve febre e, agora, está em casa e com sintomas controlados.

Nelsinho está com Covid-19, mas passa bem. (Foto: Divulgação)
Nelsinho está com Covid-19, mas passa bem. (Foto: Divulgação)

SUCESSO NO JAPÃO
No futebol japonês, Nelsinho esteve presente em três décadas diferentes. Pelo Verdy Kawasaki levantou a Copa da Liga e a J.League em 1994 e 1995.

Mas pelo Kashiwa Reysol conquistou tudo que poderia. Foi bicampeão japonês em 2010 e 2011; Super Copa do Japão e Copa do Imperador, ambas em 2012; Copa da Liga em 2013 e Copa Suruga em 2014. Ano passado assumiu o time na segunda divisão e o devolveu à elite japonesa com título nacional.

CARREIRA NA BOLA
Nascido em Campinas (SP), no interior de São Paulo, em 1950, Nelsinho se destacou como lateral direito da Ponte Preta no final dos anos 60, sagrando-se campeão da Divisão Intermediária, em 1969 ainda com 19 anos, e depois sendo vice-campeão paulista em 1970.

Como jogador ainda defendeu o próprio São Paulo, o Santos e o Juventus, pelo qual encerrou a carreira em 1983. Dois anos depois ele já estreava como técnico no São Bento, de Sorocaba (SP). Comandou ainda vários clubes no interior paulista como Guarani e Ponte Preta, em Campinas, Internacional de Limeira, São Caetano e Novorizontino.

MUITOS TÍTULOS

Teve a chance também de passar por todos os grandes clubes de São Paulo. Levantou o primeiro título brasileiro do Corinthians em 1990 e foi campeão paulista em 1997. No ano seguinte, 1998, conquistou o título paulista pelo São Paulo.

Foi campeão estadual pelo Atlético-PR (1988), Goiás (2003) e bicampeão pelo Sport (2008/2009). Levou o time pernambucano ao maior título da sua história, da Copa do Brasil de 2008.

Fora do país, trabalhou na Colômbia, Chile e Arábia, além de ser o mais longevo treinador na história da J.League.