Candangão: Zagueiro campeão do mundo passa de vilão à herói no gol do Brasiliense

Ele já tinha cartão amarelo e acabou levando o segundo amarelo por tirar a camisa e foi expulso do jogo

por Sérgio Porto

Brasília, DF, 08 (AFI) - O futebol é emocionante pois as situações mudam muito rápido. No domingo no estádio Abadião, na cidade de Ceilândia, no Distrito Federal, o Brasiliense estava garantindo a classificação para as finais do Candangão pois vencia o Paracatu por 2 a 1. Eram jogados 42 minutos do segundo tempo.

De repente, uma bola lançada para a área do Brasiliense. O experiente zagueiro Lúcio de 40 anos, campeão do mundo pela seleção brasileira em 2002, levanta a perna na cabeça do atacante do Paracatu. O árbitro Vanderlei Soares, de imediato aponta para a marca de penalidade máxima.

O lateral esquerdo Danilo Itaporanga foi designado para a cobrança. Ele chuta e empata o jogo em 2 a 2. A festa da torcida do Paracatu era enorme, pois o time do interior mineiro estava se classificando de forma inédita para as finais do Candangão. O Brasiliense então partiu para o ataque. O zagueiro Lúcio virou verdadeiramente um atacante.

 Zagueiro campeão do mundo passa de vilão à herói no gol do Brasiliense (Foto: Raimundo Torres)
Zagueiro campeão do mundo passa de vilão à herói no gol do Brasiliense (Foto: Raimundo Torres)
Aos 48 minutos do segundo tempo a bola foi lançada para o avante Maykon Leite, do Brasiliense, que vai à linha de fundo e cruza para a área do Paracatu. Quem aparece para mandar a bola para o fundo do gol foi o zagueiro campeão do mundo, Lúcio. O Brasiliense passava à frente do marcador e se garantia pelo terceiro ano consecutivo nas finais do Candangão.

NÃO SEGUROU A EMOÇÃO
Lúcio não conteve a emoção e tirou a camisa. Ele já tinha cartão amarelo e acabou levando o segundo amarelo e foi expulso do jogo. Ao final da partida, o zagueiro de 40 anos que nasceu em Brasília disse que:

“Eu só que agradecer porque desde que eu tinha 18 anos e que tomei de 7 a 0 aqui no Guará para o Inter, aprendi a conhecer um Deus de milagre, o Deus do impossível e que independentemente da idade, ele é só um. Independente do lugar, da situação, Deus e fiel. Acreditei até o final e ele fez mais um milagre na minha vida. Eu sou grato à Deus, a minha família que veio assistir o jogo, aos meus companheiros que deram apoio quando fiz o pênalti. Poderia ter terminado a partida como vilão e eles me apoiaram. Aí então eu consegui marcar o gol. Agora é comemorar e depois nos prepararmos para as partidas finais do Candangão”, disse o zagueiro Lúcio.

O zagueiro experiente do Brasiliense está fora do primeiro jogo da final do Candangão frente ao Gama, no próximo sábado a partir das 16 horas no estádio Mané Garrincha, em Brasília.