Madureira-RJ 6 x 2 Operário-PR - Acesso e festa com direito a humilhação!

Com este resultado, o time carioca venceu o placar agregado, por 10 a 4

por Agência Futebol Interior

Rio de Janeiro, RJ, 16 (AFI) – O Madureira-RJ é o primeiro clube a garantir o acesso ao Campeonato Brasileiro da Série D de 2011. Com uma goleada histórica e sem dar margens para contestações, o Tricolor Suburbano atropelou o Operário-PR, por 6 a 2, na tarde deste sábado, n Estádio Aniceto Moscoso, no Rio de Janeiro, pelas quartas-de-final da Série D.

Com este resultado, o time carioca venceu o placar agregado, por 10 a 4. Isso na partida de ida, o Madura já havia vencido, por 4 a 2. Agora, aguarda o vencedor de Joinville-SC e América-AM, que se enfrentam neste domingo, para descobrir quem será seu adversário nas semifinais.

Vaga garantida
Precisando vencer por três gols de diferença, o Operário tentou começar pressionando, mas o tiro saiu pela culatra. Logo aos cinco minutos, o Madureira marcou em um contra-ataque. O atacante Maciel arrancou pelo meio, após falha da defesa e dividiu com o goleiro Tiago. A bola sobrou na esquerda da área e o próprio jogador bateu por cobertura.

Depois de sofrer o gol, Trem Fantasma se perdeu e viu o time carioca tocar a bola com inteligência. Somente a partir dos 15 minutos é que os visitantes adiantaram a marcação e começaram a chegar com mais freqüência.

O problema é que o forte calor castigava os dois times, que sentiam dificuldades para jogar. Mesmo assim, o Tricolor suburbano seguia explorando bem o lado esquerdo com o ala Baiano. Foi o outro lateral, entretanto, quem fez a jogada do segundo gol. Aos 35, Valdir cobrou falta na área e o atacante Hiroshi fez de cabeça.

O time alvinegro nem teve tempo para digerir o segundo gol. Dois minutos depois, o meia Alex invadiu a área e foi derrubado pelo zagueiro Leonardo. Na cobrança, o volante Rodrigo bateu com extrema categoria e praticamente fechou o caixão adversário.

Aí já virou várzea...
A segunda etapa começou em um ritmo alucinante. A primeira impressão era de que o Operário conseguiria uma reação para, ao menos, terminar sua participação de forma digna. Aos três minutos, os paranaenses diminuíram com o meia Péricles, após cobrança de escanteio de Cassiano.

Nos minutos seguintes, porém, o Madureira mostrou quem manda na Rua Conselheiro Galvão. Como um rolo-compressor, o time marcou três gols e transformou a bela vitória em uma goleada humilhante. Aos seis, Leonardo tentou dominar e em um lance bisonho deixou a bola escapar. A sobra ficou com Hiroshi, que só tirou do goleiro.

Ainda atordoado pelo quarto gol, o Trem Fantasma ainda sofreu outros dois. Aos oito, após escanteio, houve um bate-rebate e o zagueiro Pessanha completou na segunda trave. Um minuto depois, Maciel recebe nas costas da defesa e chuta de biquinho para fazer o sexto gol do Madureira.

A goleada deixou o jogo mais morno, uma vez que o próprio time visitante passou a se resguardar para não sair com um placar histórico. Nas arquibancadas, a festa foi grande e o público entoou gritos como 'Arerê, o Madureira vai subir para a Série C!'. No fim, aos 40, o atacante Baiano ainda fez o segundo dos visitantes

Ficha técnica

Madureira-RJ 6 x 2 Operário-PR

Local: Estádio Aniceto Moscoso, no Rio de Janeiro-RJ
Árbitro: Edilson Ramos da Mata-MT
Assistentes: Lincoln Ribeiro Taques-MT e Paulo Cesar Silva Faria-MT
Renda: R$ 8.000,00
Público: 600 pagantes (700 torcedores)
Cartões Amarelos: Victor Silva (Madureira); Cassiano, Leonardo (Operário)
Gols: Maciel aos 5’/1T e aos 9’/2T, Hiroshi aos 35’/1T e aos 6’/2T, Rodrigo aos 38’/1T e Pessanha aos 8’/2T (Madureira); Péricles 3’/2T e Baiano 40’/2T (Madureira)

Madureira
Jefferson; Valdir, Pessanha, Douglas Assis e Baiano; Vinícius (Caio César), Victor Silva, Rodrigo e Alex (Serginho); Hiroshi (Obina) e Maciel.
Técnico: Antônio Carlos Roy

Operário
Thiago; Cassiano, Leonardo, Fabiano e Rogerinho (Vinícius); Dario (Léo Gazola), Cambará, Péricles e Edson Grilo; Baiano e Edenílson (Lucas).
Técnico: Caçapa

 
 
" />