Série C: STJD denuncia Treze, mas não cogita perda de pontos e frustra tapetão do ABC

Tribunal enquadrou o caso no artigo 49 do RGC e por descumprir decisão da Justiça Desportiva

por Agência Futebol Interior

Campinas, SP, 04 (AFI) - A Procuradoria do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) acatou na noite da última terça-feira a denúncia do ABC contra o Treze pela participação equivocada do técnico Celso Teixeira na partida contra o Confiança, pela 17ª rodada da Série C. O caso, no entanto, não foi enquadrado no artigo 214, que diz respeito à irregularidade e prevê punição de perda de pontos. A decisão frustra os planos do ABC de reverter o rebaixamento à Série D.

“O artigo 214 mencionado pelo ABC trata exclusivamente de irregularidade de atletas não cabendo qualquer outra interpretação”, explicou o STJD em nota oficial. Ou seja, a punição requerida pelos abecedistas não são aplicáveis a treinadores.

A Procuradoria entende que a infração cometida se enquadra nos artigos 49 do Regulamento Geral de Competições (RGC) e aos artigos 191 inciso III 223 do Código Brasileiro de Justiça Desportiva (CBJD).

O artigo do RGC fala sobre a responsabilidade de cada clube em cumprir com as punições por cartões ou por determinação da Justiça. Os outros dois determinam punição de multa de R$ 100 a R$ 100 mil. O 191 versa sobre deixar de cumprir ou dificultar o cumprimento do regulamento da competição e o 223 sobre deixar de cumprir ou retardar o cumprimento de imposições da Justiça Desportiva.

ABC denunciou Treze por suposta irregularidade de Celso Teixeira. (Foto: Cassiano Cavalcanti / Treze FC)
ABC denunciou Treze por suposta irregularidade de Celso Teixeira. (Foto: Cassiano Cavalcanti / Treze FC)
COMEÇOU NA SÉRIE D
O técnico Celso Teixeira foi suspenso por três partidas pelo STJD quando treinava o Central-PE na Série D. Ele cumpriu apenas a suspensão automática, ainda pelo clube pernambucano, portanto restaram outras duas suspensões, que deveriam ser colocadas em prática no Treze.

Celso deveria estrear contra o Ferroviário, pela 16ª rodada, mas a documentação não foi regularizada a tempo, portanto a ausência nessa partida não contou como cumprimento de suspensão. Ao ser regularizado, ele ficou no banco de reservas no jogo contra o Confiança, na penúltima rodada, o que despertou a atenção do ABC sobre a suposta regularidade.

O correto seria que o treinador ficasse de fora da partida contra os sergipanos e também na rodada final, contra o Botafogo-PB. No período entre os dois jogos, o ABC fez a denúncia, o que motivou o Galo a não deixar Celso no banco de reservas por precaução, o que contou como o cumprimento de uma das duas suspensões pendentes.

TAPETÃO DOS SONHOS
O ABC alimenta a esperança de continuar na Série C do Campeonato Brasileiro no ano que vem. O time potiguar terminou a primeira fase na vice-lanterna, com 18 pontos, um a menos que o Treze, primeiro time fora do Z2. Ou seja, se o Galo da Borborema perdesse os pontos, o rebaixamento seria dele e não do ABC.