Série C: Por unanimidade, STJD descarta anulação de Náutico x Paysandu

Procurador Felipe Bevilacqua afirmou que a regra é interpretativa e pediu que nenhum outro caso da mesma natureza seja acolhido

por Agência Futebol Interior

Recife, PE, 20 (AFI) - O Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) decidiu não levar adiante a solicitação de impugnação da partida entre Náutico e Paysandu, disputada no dia 8 de setembro, pela rodada de volta das quartas de final da Série C, nos Aflitos. Em sessão realizada na tarde desta sexta-feira, o pedido feito pelo clube paraense foi julgado improcedente, por unanimidade.

O jogo em questão decidiu um dos acessos à Série B de 2020, e o Paysandu tinha a esperança de uma nova chance de disputar a vaga. Ainda existe a possibilidade de recorrer à Corte Arbitral do Esporte (CAS), o que ainda será avaliado pelo departamento jurídico do time de Belém.

Foto: Léo Lemos / CNC
Foto: Léo Lemos / CNC

BOLA NA MÃO OU MÃO NA BOLA?
O Paysandu pediu a anulação por avaliar que o árbitro Leandro Vuaden cometeu erro de direito ao marcar um pênalti para o Náutico aos 49 minutos do segundo tempo, quando a equipe paraense vencia por 2 a 1.

No lance, a bola tocou a mão de Anderson Uchôa, dentro da área, após Wellington Reis afastar de cabeça. Os dois atletas estavam muito próximos. A cobrança foi convertida por Jean Carlos e, na sequência, o time pernambucano levou a melhor na disputa de pênaltis para conquistar o acesso.

Durante o julgamento, o procurador Felipe Bevilacqua afirmou que a regra é interpretativa e pediu que nenhum outro caso da mesma natureza seja acolhido pelo Tribunal no futuro.