Náutico 2 (5) x (3) 2 Paysandu - Nova Batalha dos Aflitos acaba em acesso do Timbu

Depois de dois anos na terceira divisão, finalmente o time alvirrubro vai voltar a disputar a Série B

por Agência Futebol Interior

Recife, PE, 08 (AFI) - No ano em que voltou a atuar oficialmente no Aflitos, o Náutico aproveitou a atmosfera mística do estádio e o transformou em palco do acesso à Série B do Campeonato Brasileiro, depois de muita emoção na noite deste domingo.

O time pernambucano perdia por 2 a 0 para o Paysandu, no jogo de volta das quartas de final da Série C, mas buscou o empate por 2 a 2 no último minuto de jogo, com Jean Carlos, e garantiu o acesso com vitória por 5 a 3 na disputa de pênaltis. O jogo de ida terminou empatado sem gols.

VEJA OS MELHORES MOMENTOS E GOLS !

EMOÇÃO E FESTA
Depois de dois anos na terceira divisão, finalmente o Náutico voltará a jogar a Série B. No ano passado, também chegou às quartas da Série C, mas perdeu o acesso para o Bragantino, naquela época jogando na Arena Pernambuco.

Na atual temporada, o clube voltou a mandar partidas no Aflitos, onde não atuava oficialmente desde 2014. O estádio tem muita história e foi palco da famosa ‘Batalha do Aflitos’, jogo no qual o time de Recife perdeu o acesso à elite do Brasileiro para o Grêmio, em 2005.

Impressionante invasão dos Aflitos
Impressionante invasão dos Aflitos

Do lado do Paysandu, ficam os lamentos. Rebaixada na temporada passada, a equipe paraense não esperava estender a estadia na terceira divisão, mas terá que fazer companhia por mais um ano ao eterno rival Remo, eliminado ainda na fase de grupos pelo próprio Paysandu.

NERVOSISMO
O jogo começou com as duas equipes aparentemente nervosas, afetadas pelo clima decisivo. Até por isso, as primeiras chances claras de gol saíram em virtude de erros cometidos por ambos os lados. Pelo Náutico, o volante Josa quase marcou um gol contra ao tentar desviar o caminho da bola, aos 11 minutos.

Pouco depois, aos 20, o goleiro bicolor Mota entregou de lambuja para Jean Carlos, que passou pelo arqueiro e finalizou, mas parou na interceptação do zagueiro Micael. O erro seguinte foi do Timbu, e custou caro. Aos 24 minutos, Vinícius Leite recebeu após falha na saída de bola alvirrubra e chutou.A bola desviou em Diego, fez curva e morreu dentro do gol.

SENTIU O GOL
O Náutico sentiu o gol e não deu muitos sinais de reação, além de ter corrido o risco de sofrer o segundo, o que não aconteceu por pouco aos 41 minutos.

No lance, Nicolas recebeu lançamento, tirou do goleiro Jefferson e bateu para o gol, mas Camutanga se jogou ao chão em um carrinho heroico para evitar o segundo gol paraense.

Foto: Léo Lemos / CNC
Foto: Léo Lemos / CNC

ALUCINANTE

No segundo tempo, o jogo ganhou um novo ritmo e a adrenalina foi parar lá em cima.

Com apenas nove minutos de bola rolando, o Paysandu ampliou o placar quando Tony foi até a linha de fundo e cruzou rasteiro para aera, onde Nicolas estava bem posicionado para finalizar de letra e marcar um golaço.

A vantagem ampliada pelo adversários deixou o Timbu ainda mais nervoso, mas os jogadores souberam manter o foco.

Aos 19 minutos, Willian Simões cruzou da esquerda e Álvaro subiu mais que todo para cabecear e diminuir o placar. O gol deu um novo ânimo ao time alvirrubro, e a pressão foi intensa a partir deste momento.

JOGO AÉREO
As principais chances do time pernambucano vinham de jogadas da bola aérea, sempre com Álvaro envolvido. Em dois lances, ele mandou de cabeça e mandou para fora, por pouco. Em outro, desviou para Camutanga fazer o mesmo.

Enquanto isso, o Papão focava em se defender e buscava um contra-ataque para matar o jogo. A chance surgiu aos 34 minutos, quando Uchôa ficou cara a cara com o goleiro Jefferson, mas levou a pior.

GOL NO FIM, PÊNALTIS E INVASÃO


O Aflitos foi à loucura aos 49 minutos,no momento em que o árbitro Leandro Vuaden marcou pênalti por toque de mão de Uchôa.

A marcação foi muito questionado pelos bicolores e o clima esquentou, tanto que Perema e Diego se desentenderam e acabaram expulsos.

Depois da demora, Jean Carlos foi para cobrança e converteu, levando a disputa para as penalidades.

DISPUTA DE PENALTIS
Nos pênaltis, Jefferson impediu o gol de Wellington Reis, na terceira cobrança do Papão. Depois Josa converteu para os alvirrubros e Uchôa para os bicolores. Por fim, Matheus Carvalho convertou a quinta cobrança do Timbu e garantiu o acesso.

No momento seguinte, a torcida veio abaixo e invadiu o gramado. Foi difícil ver um trecho do verde em meio a tanto verde e branco.

Ficha Técnica

Fase
Quartas de Final
Rodada
2ª rodada
Data
08/09/2019
Horário
18h00
Local
Aflitos - Recife (PE)
Árbitro
Leandro Pedro Vuaden - RS

Renda
R$ 622.183,00
Assistentes
Leirson Peng Martins - RS e Lucio Beiersdorf Flor - SP

Público
16.662 torcedores
Cartões Amarelos
Náutico-PE: Matheus Carvalho, Matheus Carvalho
Paysandu-PA: Thiago Primão, Caíque Oliveira, Anderson Uchoa, Mota

Cartões Vermelhos
Náutico-PE: Diego
Paysandu-PA: Perema, Nicolas
Gols
Náutico-PE: Álvaro 19' 2T, Jean Carlos 52' 2T
Paysandu-PA: Vinícus Leite 24' 1T, Nicolas 9' 2T
Náutico-PE
Jefferson;
Hereda, Diego, Camutanga e Willian Simões;
Josa, Jímenez (Jhonnatan) e Jean Carlos;
Thiago (Matheus Carvalho), Rafael Oliveira (Wallace Pernambucano) e Álvaro.
Técnico: Gilmar Dal Pozzo
Paysandu-PA
Mota;
Tony, Mical, Perema e Bruno Collaço;
Anderson Uchôa, Wellington Reis e Tomas Bastos (Thiago Primão / Caíque Oliveira);
Hygor Silva, Nicolas e Vinícius Leite (Diego Rosa).
Técnico: Hélio dos Anjos