Série C: Dal Pozzo repudia insinuações de Hélio dos Anjos sobre Náutico e arbitragem

Treinador do Paysandu sugeriu que CBF escalou trio de arbitragem gaúcho por proximidade com o comandante alvirrubro, também do Sul

por Agência Futebol Interior

Recife, PE, 09 (AFI) - O técnico Gilmar Dal Pozzo, do Náutico, divulgou uma nota oficial nesta segunda-feira em repúdio às declarações feitas por Hélio dos Anjos, treinador do Paysandu, após a partida disputada pelos dois clubes no último domingo. No jogo, válido pela rodada de volta das quartas de final da Série C, o Timbu conseguiu o acesso à Série B ao vencer o Papão na disputa de pênaltis, não sem polêmica.

Os bicolores reclamaram muito da penalidade marcada a favor do Náutico nos últimos minutos do segundo tempo, quando o time paraense vencia por 2 a 1. A cobrança foi convertida por Jean Carlos e o acesso foi decidido nos pênaltis.

Após o jogo, Hélio dos Anjos fez insinuações sobre a relação entre a comissão técnica do Náutico, formada por profissionais naturais do Sul do país, e a comissão de arbitragem, composta por federados pelo Rio Grande do Sul e comandada pelo gaúcho Leandro Pedro Vuaden.

“Eu só queria dizer que o Gaciba (Leonardo Gaciba, chefe de arbitragem da CBF), que é o dirigente máximo da arbitragem, só colocou dois gaúchos seguidos, com a comissão técnica do Náutico toda gaúcha”, afirmou Hélio dos Anjos.

É SANTA CATARINA
Na nota divulgada nesta segunda, Dal Pozzo disse que a conduta de Hélio foi desequilibrada e corrigiu algumas informação. O treinador alvirrubro consolidou a carreira de treinador no Rio Grande do Sul, mas nasceu em Quilombo, cidade de Santa Catarina. Ele também lembrou que mora em Florianópolis, assim como o próprio Hélio dos Anjos.

“Face declarações em que a comissão técnica do Náutico, a qual sou o treinador, está colocada em suspeição pelo colega de profissão, senhor Hélio dos Anjos, cabe essa manifestação para deixar claro pontos cruciais em meu entendimento.”, diz Dal Pozzo em trecho da nota.

Foto: Léo Lemos / CNC
Foto: Léo Lemos / CNC
“Repudio toda e qualquer ato que mexa com meu caráter, minha índole e minha ética nestes 50 anos de vida e mais de 30 anos de futebol. Querer induzir benefício da arbitragem por sermos ‘todos gaúchos’, demonstra total desequilíbrio por parte do treinador do Paysandu Sport Club e ainda um desconhecimento. Primeiro, sou nascido em Quilombo, oeste de Santa Catarina e resido em Florianópolis, assim como o próprio colega que também tem endereço na capital catarinense. Construí uma carreira sólida no Rio Grande do Sul e me orgulho disso, como ele também lá trabalhou em mais de um Clube”, explica o treinador.

RESPEITO
O comandante do Timbu também citou que seu time tem a melhor campanha da Série C, após terminar na liderança do Grupo A durante a primeira fase, além de lembrar a passagem que teve pelo Paysandu.

“Minha indignação está em associar meu nome e da comissão técnica com um prejuízo que ele entende ter sofrido e querer denegrir todo um trabalho realizado no Náutico, onde temos a melhor campanha da Série C 2019 e, com méritos, chegamos ao acesso... Ao longo dos dias que antecederam o confronto mantive sempre o respeito e a cordialidade com o rival, inclusive o qual dirigi em certo momento e tive números positivos, sem jamais deixar o tom subir ou agir com emoção. Meu equilíbrio me mantém, porém, onde envolve família e dignidade, o tom sobe”, argumentou.

“Jamais tive qualquer problema com o senhor Hélio dos Anjos, disse pessoalmente que o admirava nos encontros, tanto em Belém, como ontem, no estádio dos Aflitos, mas penso que tal colocação na entrevista coletiva pós-jogo foi de extremo mau gosto e ofensiva”, completou.