Cuiabá 0 x 1 Operário-PR - Arena apaga, Simão brilha e o Fantasma é campeão!

Em jogo com 90 minutos de paralisação, Bruno Batata marcou o gol do título operariano, mas goleiro também foi herói

por Agência Futebol Interior

Cuiabá, MT, 22 (AFI) - O Operário Ferroviário calou mais de 41 mil torcedores presentes na Arena Pantanal, na noite deste sábado, e fez história ao conquistar o título do Campeonato Brasileiro da Série C. O time de Ponta Grossa não se deixou afetar por uma paralisação de uma hora e meia por queda de energia e venceu o Cuiabá por 1 a 0, no segundo jogo da final. Muito disso, por conta de grande atuação do goleiro Simão. O primeiro jogo, em Ponta Grossa, terminou empatado por 3 a 3.

Esta é a primeira vez que um time conquista as séries D e C em sequência. Além de tudo, o título coroa um grande momento dos operarianos. Campeão paranaense de 2015, o time passou por algumas dificuldades nas temporadas seguintes, sendo rebaixado para a segunda divisão estadual.

Operário Ferroviário é o campeão da Série C. (Foto: José Tramontin / OFEC)
Operário Ferroviário é o campeão da Série C. (Foto: José Tramontin / OFEC)
Uma nova era, no entanto, começou no final do ano passado, com o acesso e o título da Série D. Em maio da atual temporada, veio o título da Segunda Divisão Paranaense e o retorno à elite. Agora, a consagração do acesso à Série B na condição de campeão da terceira divisão.

Do outro lado, o Cuiabá deixou de conquistar o primeiro título nacional para o Mato Grosso. Apesar disso, elevou o patamar do futebol do estado ao bater o recorde de público da Arena Pantanal, com 41.312 presentes. Antes, a marca era do duelo entre Nigéria e Bósnia Hezergovina, pelo Grupo F da Copa do Mundo de 2014, com 40.499 pessoas

Goleiro Simão foi o grande destaque da partida. (Foto: Pedro Lima / Cuiabá EC)
Goleiro Simão foi o grande destaque da partida. (Foto: Pedro Lima / Cuiabá EC)

PARALISAÇÃO
O cronômetro marcava três minutos quando os presentes na Arena foram surpreendidos com uma queda de energia que deixou parte dos refletores sem luz. Com isso, o árbitro paralisou a partida e a primeira reação dos torcedores foi de seguir a festa, fazendo ola e acendendo as luzes dos celulares. Mas a demora transformou a euforia em impaciência e logo foram ouvidas vais nas arquibancadas. A espera para que a bola voltasse a rolar foi de noventa minutos.

PRESSÃO CUIABANA
A partida foi reiniciada e as primeiras oportunidades claras de gol demoraram um pouco a surgir. Aos poucos, o Cuiabá foi contagiado pela energia da torcida e conseguiu aplicar sua proposta totalmente ofensiva. Aos 19 minutos, Simão fez grande defesa após cabeceio de Jenison. Três minutos depois, Adriano Pardal saiu livre, muito perto do gol, mas mandou para fora.

Apesar de continuarem com a posse de bola no campo de ataque, os cuiabanos tiveram dificuldades para criar mais oportunidades de gol e até deixaram o Operário equilibrar um pouco as ações dos jogos. Ainda assim, o time de casa quase foi para o intervalo em vantagem no placar, não fosse mais uma boa intervenção de Simão, que usou o pé para defender cabeceio de Adriano Pardal, aos 47.

Foto: José Tramontin / OFEC
Foto: José Tramontin / OFEC

BATATA... E SIMÃO!
No início do segundo tempo, o time de Ponta Grossa resolveu se arriscar um pouco mais no ataque e viu a iniciativa dar resultado. Aos nove minutos, Quirino entrou na área pela esquerda e bateu cruzado. O goleiro Victor Souza espalmou e a bola sobrou para Bruno Batata abrir o placar.

O gol sofrido logo no início da etapa complementar fez com que o Cuiabá se lançasse ao ataque sem a mesma organização apresentada durante o primeiro tempo. Quase sempre com os dez jogadores de linha no campo de ataque, os cuiabanos foram para o tudo ou nada e deixaram o jogo emocionante, dando espaço para o Operário contra-atacar.

Ainda assim, os donos da casa fizeram uma pressão absurda nos minutos finais e viram Simão operar dois milagres após os 45 minutos, além de terem colocado uma bola na trave. O goleiro foi decisivo e saiu de campo como um dos heróis do título.

Ficha Técnica

Fase
Final
Rodada
2ª rodada
Data
22/09/2018
Horário
19h00
Local
Arena Pantanal - Cuiabá (MT)
Árbitro
Marcelo de Lima Henrique (RJ)

Renda
R$ 568.295
Assistentes
Michael Correia (RJ) e Silbert Faria Sisquim (RJ)

Público
41.312 presentes
Cartões Amarelos
Cuiabá-MT: Eduardo Ramos , Alê, Ednei
Operário-PR: Simão, Bruno Batata

Gols
Operário-PR: Bruno Batata 9' 2T
Cuiabá-MT
Victor Souza;
Jean (Bruno Alves), Ednei, Edson Borges e Danilo;
Alê, Marino, Eduardo Ramos e Hiltinho (Doda);
Adriano Pardal (João Carlos) e Jenison.
Técnico: Itamar Schülle
Operário-PR
Simão;
Léo, Alisson, Sosa e Peixoto (Rodrigo);
Chicão, Erick, Cleyton e Dione (Serginho Paulista);
Quirino (Robinho) e Bruno Batata
Técnico: Gerson Gusmão