Seleção final da Série C chega repleta de heróis do acesso

por Agência Futebol Interior

Campinas, SP, 24 (AFI) - O Campeonato Brasileiro da Série C deste ano foi enxuto, e teve menos da metade do número de jogos da competição do ano passado. No entanto, tecnicamente foi muto superior, haja vista que muitos dos destaques da Terceirona conseguiram empregos em equipes das Séries A e B. Por isso, a tarefa de escolher os 11 melhores da competição não foi nada fácil.

Muitos craques que se destacaram acabaram ficando de fora em virtude do grande número de bons jogadores. São os casos de Bruno Mineiro, do América-MG, Marciano, do Icasa, e Rocha, do Guaratinguetá, por exemplo.

A equipe foi armada no sistema 4-4-2, e o comandante do time, como não poderia deixar de ser, foi o campeão Givanildo de Oliveira (foto). Mas vale a pena ressaltar o trabalho excelente de Vica, do ASA, Flávio Araújo, do Icasa e Vilson Tadei, do Guaratinguetá, todos que atingiram o objetivo e conquistaram o acesso.

Assim, a Seleção FI da Série C tem a seguinte formação: Tuti (ASA); Jackson (Guaratinguetá), Wellington Paulo (América-MG), Paulão (ASA) e Zé Rodolpho (América-MG); Moisés (América-MG), Júnior Xuxa (Icasa), Irênio (América-MG) e Nenê (Guaratinguetá); Nena (ASA) e Laécio (Guaratinguetá)

Goleiro: Tuti (ASA) - O goleiro foi um verdadeiro paredão durante todo o campeonato, e teve papel importante no vice-campeonato do clube alagoano. No jogo de volta das semifinais, por exemplo, pegou um pênalti e garantiu a classificação em cima do Icasa, em pleno Juazeiro do Norte.

Lateral-direito: Jackson (Guaratinguetá) - Bom tanto no apoio quanto na marcação, o lateral chegou de mansinho e conquistou seu espaço no Guaratinguetá, terminando como titular absoluto. Jovem, ainda pode crescer de produção e tem tudo para desfilar seu futebol em grandes clubes no futuro.

Zagueiro: Wellington Paulo (América) - O veterano mostrou que ainda tem muita lenha para queimar. Com um futebol sério e objetivo, foi o grande destaque da defesa americana e a voz do técnico Givanildo de Oliveira dentro de campo. Aos 37 anos, conseguiu outro acesso com o América mais de uma década após ter subido com o Coelho para a elite em 97. Foi o sexto título do becão com a camisa do time mineiro.

Zagueiro: Paulão (ASA) -foto O zagueiro foi o xerife da defesa do ASA. Mostrando muito vigor físico, segurança e bom posicionamento, comandou o sistema defensivo do time vice-campeão. O bom futebol de Paulão despertou o interesse de clubes das Séries A e B, e seu destino é o Barueri.

Lateral-esquerdo: Zé Rodolpho (América-MG) - Homem de confiança de Givanildo, com quem trabalhou no Mogi Mirim, Zé Rodolpho devolveu a confiança depositada pelo treinador. O lateral foi uma das principais opções ofensivas do time mineiro, e com seu potente chute de pé esquerdo, fez a diferença. Acertou com o Vila Nova-GO para o restante da temporada.

Volante: Moisés (América-MG) - Volante moderno e de excelente qualidade técnica, Moisés é o oposto do tipo de volante que só destrói. Além de marcar com eficiência e ter bom passe, chega à frente com qualidade, tendo balançado as redes três vezes no campeonato. A regularidade do volante também fez a diferença, e Moisés só desfalcou o Coelho uma vez, por suspensão.

Meia: Junior Xuxa (Icasa) - Habilidoso, o meia começou a competição como reserva, mas suas boas atuações o levaram para o time titular. Com muita visão de jogo e passes na medida, foi um dos responsáveis pela bela campanha do Icasa, que começou o campeonato como azarão e beliscou uma vaga na Série B de 2010.

Meia: Nenê (Guaratinguetá) - Considerado em eleição recente o maior ídolo da história do Guaratinguetá, o meia foi o maestro e vice-artilheiro da equipe na competição. Excelente nas cobranças de falta e escanteio, Nenê chamou a atenção da Ponte Preta e se transferiu para o time campineiro, onde é titular e camisa 10.

Meia: Irênio (América-MG) - Outro veterano que fez a diferença no campeão América-MG. O jogador chamou a reponsabilidade para si, e com muita qualidade nas bolas paradas foi o diferencial do Coelho. Assim como os outros destaques da Terceirona, arrumou emprego para o restante da temporada e vai defender o Náutico na Série A.

Atacante: Nena (ASA) - O artilheiro da competição com oito gols não poderia ficar de fora da Seleção. Atacante rompedor e oportunista, Nena foi o autor de quase metade dos gols do time alagoano. O grande campeonato do matador valeu uma transferência para o Vila Nova para a sequência da Série B.

Atacante: Laécio (Guaratinguetá) - O atacante fez uma competição brilhante, sobretudo do meio para o final do campeonato. Com grande senso de colocação e excelente finalizador, terminou como goleador máximo do clube e vice da Série C, com sete gols. As belas atuações fizeram com que o Bahia apostasse em seu futebol, contratando Laécio para a reta final da Série B.

Técnico: Givanildo de Oliveira (América-MG) - O experiente treinador confirmou a fama de pé quente e alcançou mais um acesso e um título à sua vitoriosa carreira. O bom trabalho do treinador despertou o interesse de clubes como Paysandu, Vila Nova e Fortaleza, mas Giva segue no Coelho em 2010.