Série B vai na onda da elite e também cria regra para troca de técnico em 2021

Mesmo técnico poderá passar por dois clubes na Série A e dois na Série B ao longo da temporada

por Agência Futebol Interior

Campinas, SP, 25 (AFI) - A paciência da torcida e dos dirigentes vai ter que aumentar na Série B do Campeonato Brasileiro. Com a anuência dos clubes, a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) conseguiu impor a regra para troca de técnico, assim como já havia feito na Série A.

Cada clube poderá ter apenas dois treinadores ao longo das 38 rodadas. E os técnicos, que adoram reclamar, mas fazem igual, também só poderão dirigir dois clubes na mesma competição.

Cabloco convenceu os clubes da Série B. (Foto: Leandro Lopes / CBF)
Cabloco convenceu os clubes da Série B. (Foto: Leandro Lopes / CBF)
Apesar de ter o mesmo formato, as divisões do Brasileirão têm regulamento isolado. Assim, um mesmo técnico poderá passar por dois clubes na Série A e dois na Série B ao longo da temporada.

REGRA!
A nova regra determina que o clube começará a Série B com um técnico inscrito. Se demitir este treinador, poderá inscrever apenas mais um técnico. Caso ocorra uma segunda demissão, o substituto terá de ser um profissional que já trabalhe registrado na comissão técnica ou nas categorias de base do clube há no mínimo seis meses. Se o pedido de demissão partir do próprio treinador, não haverá limitação ao clube para contratar um novo técnico.

Esse técnico que pedir demissão, no entanto, só poderá ser inscrito por mais uma equipe durante todo a Série B. Ou seja, em caso de novo pedido de demissão, ele não poderá mais trabalhar na competição. Mas, se a demissão for feita pelo clube, o técnico não sofrerá nenhum tipo de limitação para arrumar um novo clube.