Vitória 3 x 0 Brasil de Pelotas - Leão da Barra vence e se afasta da zona de rebaixamento

Com o resultado, os donos da casa foram aos 40 pontos na tabela da Série B, apenas dois abaixo dos visitantes

por Agência Futebol Interior

Salvador, BA, 05 (AFI) - O Vitória deu mais um importante passo para se manter no Campeonato Brasileiro da Série B para a próxima temporada. Na noite desta terça-feira, 5, a equipe baiana recebeu o Brasil de Pelotas, no Barradão, em Salvador (BA), pela 33.ª rodada, e venceu por 3 a 0, dois gols marcados em belas cabeçadas e um com Eron aproveitando bobeada da zaga gaúcha.

Espaço incorporado por HTML (embed)

Com o resultado, os donos da casa foram aos 40 pontos, apenas dois abaixo dos visitantes. Dessa forma, ambos os times seguem distantes da zona de rebaixamento, que, no momento, é composta por São Bento, Vila Nova, Criciúma e Figueirense, enquanto o Londrina é o primeiro fora.

PRIMEIRO TEMPO
O duelo começou com uma boa oportunidade para cada lado. Primeiro, logo aos cinco minutos, o zagueiro Bruno Aguiar saiu jogando errado, fazendo com que a bola chegasse em Lucas Cândido. O meio-campista do Vitória resolveu arriscar e levou perigo em finalização rasteiro. Depois, aos seis, a dupla de ataque do Brasil de Pelotas tabelou até que Guilherme Queiroz finalizou e tirou tinta da trave.

Depois de um período morno, a primeira etapa voltou a ficar movimentada com nova chegada dos visitantes. Aos 22, o lateral Ednei cobrou falta da intermediária e encontrou o zagueiro Nirley. Ele conseguiu fazer o desvio, mas a bola saiu à direita. Na sequência, aos 23, o atacante dos donos da casa, Eron, tentou jogada individual e finalizou da entrada da área, mas mandou pela rede do lado de fora.

Já aos 39, o lateral-esquerdo Thiago Carleto bateu o escanteio, e a defesa do Brasil de Pelotas espirrou errado. O zagueiro Ramon se posicionou bem dentro da área e pegou em cheio, mas a bola passou rente à trave direita. Quase aos 46, o Vitória abriu o placar. O atacante Anselmo Ramon fez o pivô, tabelou com Eron e cruzou na medida para Lucas Cândido, que chegou testando firme e balançou as redes.

ETAPA FINAL
O Vitória se aproximou ainda mais do triunfo logo aos dois minutos. Afinal, Thiago Carleto cobrou falta da intermediária e encontrou o zagueiro Everton Sena entrando livre dentro da área. O defensor se posicionou e escorou firme, sem dar qualquer possibilidade de defesa para o goleiro Carlos Eduardo.

Com o placar dilatado e com a situação na tabela de classificação praticamente resolvida, o Brasil de Pelotas optou por não se expor muito. Dessa forma, só conseguiu ameaçar aos 15 minutos, quando o zagueiro Bruno Aguiar arriscou e bateu falta da intermediária com muita força, obrigando o goleiro Martín Rodriguez a fazer boa defesa.

Foto: Divulgação - Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Já aos 32, Eron percebeu que o Brasil trocava passes de maneira perigosa, aproveitou domínio equivocado de Carlos Jatobá e, na saída do goleiro adversário, deu um tapa de pé direito, aumentando a vantagem e garantindo a vitória rubro-negra.

PRÓXIMOS JOGOS
O Vitória volta a campo na sexta-feira, 8, às 19h15, quando visita o Paraná, na Vila Capanema, em Curitiba (PR). Também pela 34.ª rodada, o Brasil de Pelotas recebe o Oeste, em Pelotas (RS), no Bento Freitas, às 19h de sábado, 9.

Ficha Técnica

Fase
Única
Rodada
33ª rodada
Data
05/11/2019
Horário
20h30
Local
Barradão - Salvador (BA)
Árbitro
Gilberto Rodrigues Castro Junior (PE)

Renda
R$ 52.694,00
Assistentes
Clovis Amaral da Silva e Ricardo Bezerra Chianca (PE)

Público
6.251 presentes (5.836 pagantes)
Cartões Amarelos
Vitória-BA: Everton Sena, Van
Brasil-RS: Nirley

Gols
Vitória-BA: Lucas Cândido 45' 1T, Everton Sena 2' 2T, Eron 28' 2T
Vitória-BA
Martín Rodríguez;
Van, Everton Sena, Ramon e Thiago Carleto;
Rodrigo Andrade (Baraka);
Léo Gomes (Romisson) e Lucas Cândido;
Felipe Garcia, Anselmo Ramon (Felipe Gedoz) e Eron.
Técnico: Geninho
Brasil-RS
Carlos Eduardo;
Ednei, Bruno Aguiar, Nirley e Willian Formiga;
Leandro Leite (Pereira) e Ari Moura;
Carlos Jatobá e Juba (Cristian);
Guilherme Queiroz e Murilo Rangel (Washington).
Técnico: Bolívar