Operário-PR 1 x 2 Brasil de Pelotas - Vacilo e virada no último minuto pela Série B

Os dois gols da virada gaúcha foram anotados pelo zagueiro Leandro Camilo no segundo tempo, o segundo deles no último minuto

por Agência Futebol Interior

Ponta Grossa, PR, 5 (AFI) – Na sua luta contra o rebaixamento, o Brasil de Pelotas conseguiu uma importante vitória ao bater o Operário, por 2 a 1, neste sábado à noite, no estádio Germano Kruger pela 26.ª rodada do Campeonato Brasileiro da Série B. Os dois gols da virada gaúcha foram anotados pelo zagueiro Leandro Camilo no segundo tempo, o segundo deles no último minuto regulamentar.

SEGUNDA DERROTA
Esta foi a apenas a segunda derrota em casa do time paranaense, que continua com 36 pontos, em nono lugar. Depois de quatro jogos, o Brasil volta a vencer e respirar na tabela, com 33 pontos, em 12.º lugar.

Com atrasos salariais, os jogadores gaúchos continuam sem dar entrevistas, numa ‘greve de silêncio’.

DONO DO JOGO
Mas quem mandou no primeiro tempo foi o time da casa, apoiando por cinco mil torcedores. Criou várias chances reais e poderia ter feito uma vantagem tranquila no placar.

Aos 15 minutos, após cruzamento de Alan Vieira, Lucas Batatinha apareceu na pequena área para desviar e o goleiro Carlos Eduardo fez grande defesa com os pés.

Batatinha fez belo gol, mas Operário levou virada. Foto: José Tramontini - OFC
Batatinha fez belo gol, mas Operário levou virada. Foto: José Tramontini - OFC

BELO GOL
Mas Batatinha estava inspirado e fez um belo gol aos 21 minutos. Cleiton evitou que a bola saísse pelo lado esquerdo e fez o passe para o atacante, que fez a finta em cima de Leandro Camilo e bateu cruzado no canto esquerdo do goleiro, que tinha a visão encoberta por três defensores.

MARCAÇÃO DIFERENTE
No segundo tempo, o Brasil voltou mais adiantado com sua marcação e dificultou a troca de passes dos paranaenses. Para complicar o empate saiu numa bola parada.

A falta foi cobrada da intermediária e em curva, passando por toda a defesa. O zagueiro Leandro Camilo esticou a perna no segundo pau e balançou as redes aos 21 minutos.

MAIS VOLUME
O Operário tinha maior volume de jogo, porem, não conseguia as infiltrações, muito menos as finalizações. Nem mesmo a maior participação do lateral-direito Maílton melhorou a força ofensiva do time da casa.

Brasil marcou bem no 2º tempo. Foto: José Tramontin
Brasil marcou bem no 2º tempo. Foto: José Tramontin

GOL EM CIMA
Quando o empate parecia ser o resultado final e já satisfazia o visitante, Leandro Camilo voltou a marcar aos 45 minutos. Outra falta cobrada da intermediária à meia altura e o goleiro Rodrigo Vianna rebateu no meio da área.

Leandro Camilo, desequilibrado, bateu de voleio, porém, fraco. A bola quicou duas vezes e entrou no canto direito do goleiro.

Mesmo nos acréscimos, o Operário ainda teve duas boas chances. Aos 47 minutos, Maílton chutou forte e Carlos Eduardo espalmou por cima do travessão. No minuto seguinte, a bola foi levantada na pequena área, e Carlos Eduardo voou para antecipar à finalização de Marcelo.

JOGOS NA TERÇA-FEIRA
Na próxima terça-feira, o Operário vai enfrentar o Paraná, de novo em casa, a partir das 19h15. No mesmo dia, porém, a partir das 20h30, o Brasil sai de novo, desta vez diante Criciúma, em Santa Catarina.

Ficha Técnica

Fase
Única
Rodada
26ª rodada
Data
05/10/2019
Horário
19h00
Local
Germano Krüger - Ponta Grossa (PR)
Árbitro
Diego da Costa Cidral (SC)

Renda
R$ 49.895,00
Assistentes
Helton Nunes (SC) e Thiaggo Americano Labes (SC)

Público
4.311 pagantes (5.018 total)
Cartões Amarelos
Operário-PR: Jardel, Lázaro
Brasil-RS: Maicon Assis, Guilherme Queiroz

Gols
Operário-PR: Lucas Batatinha 30' 1T
Brasil-RS: Leandro Camilo 21' 2T, Leandro Camilo 45' 2T
Operário-PR
Rodrigo Viana;
Maílton, Lázaro, Rodrigo e Alan Vieira (Julinho);
Índio, Jardel (Uilliam), Cleyton e Marcelo;
Felipe Augusto e Lucas Batatinha (Felipe Alves).
Técnico: Gerson Gusmão
Brasil-RS
Carlos Eduardo;
Ricardo Luz, Bruno Aguiar, Leandro Camilo e Pará (Washington);
Leandro Leite, Carlos Jatobá, Murilo Rangel e Diogo Oliveira;
Rodrigo Alves (Maicon Assis) e Guilherme Queiroz (Pereira)
Técnico: Bolívar