ESPECIAL SÉRIE B: Fortaleza sobra em campeonato marcado por equilíbrio e superações

CSA, Avaí e Goiás também conquistaram o acesso à elite, enquanto Boa Esporte, Juventude, Sampaio Corrêa e Paysandu foram rebaixados

por Agência Futebol Interior

Campinas, SP, 25 (AFI) - O Campeonato Brasileiro da Série B de 2018 foi um dos mais equilibrados dos últimos anos. Com exceção do Fortaleza, que conquistou o título sob o comando de Rogério Ceni, nenhum clube se sobressaiu. No final, CSA, Avaí e Goiás comemoraram o acesso ao lado do Leão do Pici, enquanto Paysandu, Sampaio Corrêa, Juventude e Boa Esporte foram rebaixados para a Série C.

O grande destaque do campeonato não poderia ser diferente. Mesmo começando debaixo de desconfiança dos torcedores pelo título cearense perdido para o seu maior rival - o Ceará -, o Fortaleza liderou a Série B praticamente do início ao fim. O trabalho de Rogério Ceni surpreendeu, tanto que o principal reforço para a temporada de 2019 foi a manutenção do treinador, que recebeu sondagens de outros clubes.

A dupla campineira não obteve sucesso. Com uma arrancada incrível após a chegada de Gilson Kleina, que conquistou sete vitórias e dois empates, a Ponte Preta chegou na última rodada dependendo apenas de si para subir, mas precisava vencer o Avaí, na Ressacada. O empate sem gols e a vitória do CSA sobre o já rebaixado Juventude deixaram a Macaca mais um ano na Série B. Já o Guarani também chegou a sonhar com o acesso, mas, diferente da rival, caiu de produção na reta final e terminou na modesta nona colocação.

Com um ótimo aproveitamento em casa, o Fortaleza conquistou o título da Série B do Brasileiro
Com um ótimo aproveitamento em casa, o Fortaleza conquistou o título da Série B do Brasileiro
ALEGRIA DE UNS...

Sob o comando de Rogério Ceni e tendo Gustagol no ataque, o Fortaleza se sagrou campeão com algumas rodadas de antecedência, principalmente por causa do seu bom desempenho na Arena Castelão, onde conquistou 13 vitórias, quatro empates e apenas duas derrotas. No geral, o Leão do Pici terminou com 71 pontos, nove a mais que o vice-líder CSA.

Também com um bom desempenho como mandante - dez vitórias, quatro empates e cinco derrotas -, o Azulão do Mutange vai voltar a disputar a elite do Brasileirão depois de 31 anos. Já o Avaí sofreu até a última rodada e garantiu o acesso ao empatar o confronto direto com a Ponte Preta, em Florianópolis. Com 61 pontos, o Leão ficou em terceiro lugar, com 61 pontos, um a mais que a Macaca, quinta colocada.

A Ponte Preta bateu na trave na briga pelo acesso, enquanto o Sampaio Corrêa foi rebaixado
A Ponte Preta bateu na trave na briga pelo acesso, enquanto o Sampaio Corrêa foi rebaixado
Por último, mas não menos importante, vem o Goiás, que teve a mesma pontuação da Ponte Preta e ficou na quarta colocação graças ao número de vitórias (18 contra 16). Na verdade, o acesso esmeraldino veio com uma rodada de antecedência ao bater o Oeste, por 3 a 1, em Barueri. O feito só foi possível graças a chegada de Ney Franco, que assumiu o clube na zona de rebaixamento. A primeira vitória do Verdão na Série B aconteceu apenas na oitava rodada.

... TRISTEZA DE OUTROS!
Enquanto Fortaleza, CSA, Avaí e Goiás comemoraram, outros quatro choraram. O Boa Esporte fez uma campanha decepcionante e terminou na lanterna com apenas 30 pontos conquistados. Juventude e Sampaio Corrêa também foram mal e somaram 35 e 38 pontos respectivamente. Já o Paysandu escapou do rebaixamento apenas na última rodada.

Em 17º lugar, o Papão pecou demais tanto dentro quanto fora de campo, com mudanças de treinadores e contratações equivocadas. Na última rodada, mesmo diante do seu torcedor, o Paysandu foi goleado pelo Atlético-GO, por 5 a 2. Oeste, Figueirense, Criciúma, São Bento e CRB chegaram na rodada final correndo risco de queda.

Mesmo aos 35 anos de idade, Dagoberto foi o artilheiro da Série B com 17 gols
Mesmo aos 35 anos de idade, Dagoberto foi o artilheiro da Série B com 17 gols
OS GOLEADORES E DESTAQUES

Alguns jogadores merecem destaque pelo que apresentaram ao longo do campeonato. O principal foi Dagoberto. Aos 35 anos e desacreditado por muitos após seguidas lesões, o atacante se sagrou o artilheiro da Série B com 17 gols. O mais incrível é que ele esteve em campo 19 vezes. Não é a toa que vem despertando interesse de clubes da elite, mas demonstrou o desejo de continuar no Tubarão para 2019.

Outro que conseguiu dar a volta por cima foi Gustagol. Depois de uma passagem bastante apagada pelo Corinthians, o atacante acabou sendo emprestado ao Fortaleza e deu conta do recado. Marcou 14 gols e de todos os jeitos possíveis. Não é a toa que deve ganhar uma oportunidade com Fábio Carille no Timão. Entre Gustagol e Dagoberto ficou Lucão, do Goiás, com 16 gols.

Dois atacantes também chamaram a atenção de grandes clubes brasileiros pelo que apresentaram na Série B. Com 11 gols, André Luis foi o principal jogador da Ponte Preta e vai defender o Corinthians em 2019. Já Michael infernizou os zagueiros adversários com muita velocidade e técnica, sendo o destaque do Goiás na conquista do acesso. Sua permanência no Verdão ainda é uma incógnita.