Série B: Conflito da torcida da Ponte Preta com PM e seguranças fere dois repórteres

Gabriel Castro recebeu estilhaço na cabeça e Pedro Orioli na mão em conflito entre torcedores, policiais e seguranças

por Agência Futebol Interior

Pequena lesão na cabeça de Pedro Orioli
Pequena lesão na cabeça de Pedro Orioli
Campinas, SP, 25 (AFI) – A violência nunca é justificada, porém, os conflitos foram inevitáveis após a nova derrota da Ponte Preta dentro do Campeonato Brasileiro da Série B. Desta vez para o Brasil de Pelotas, por 1 a 0, no Majestoso.

Na frente do estádio houve confrontos entre torcedores com a Polícia Militar e também contra os seguranças do clube. No final, sobrou estilhaços para dois repórteres de Campinas.

Gabriel Castro, repórter da Rádio CBN, recebeu um estilhaço na cabeça, que chegou a sangrar. Foi medicado no local e depois iria passar no hospital, provavelmente, para dar uns pontos.

“A confusão foi total e, de repente, ouvi aquela barulho bem perto. Quando pus a mão na cabeça, percebi que havia sangue” – explicou Castro, dez minutos depois do susto.

Pedro Orioli: mão sangrando e susto
Pedro Orioli: mão sangrando e susto

VACINA DE TÉTANO ?
O repórter Pedro Orioli, da Rádio Central, recebeu estilhaços nas mãos que chegou a sangrar. Foi atendido numa ambulância, mas logo se restabeleceu.

“Sofri um corte na mão, mas não é anda grave. Fui aconselhado e conferir minha vacina contra tétano, que farei amanhã” – comentou.

Assim que terminou o jogo, já havia muitos torcedores perto dos portões dos vestiários. Rapidamente o corre-corre e os conflitos se espalharam e muitas bombas de gás e de efeito moral foram soltas pelo policiamento.

Apesar da confusão, não houve registro de feridos, muito menos algum torcedor foi preso.