Paysandu 0 x 4 Ponte Preta - Macaca lava a alma e cola no G4 da Série B

Essa foi a sexta vitória como visitante do time campineiro, que chegou aos 29 pontos e pulou para o sexto lugar

por Agência Futebol Interior

Belém, PA, 07 (AFI) - O técnico João Brigatti disse após o empate com o Avaí que a Ponte Preta precisaria ter outra postura no segundo turno se quisesse brigar pelo acesso. E parece que isso foi assimilado pelos jogadores. Na noite desta terça-feira, a Macaca goleou o Paysandu, por 4 a 0, em plena Curuzu, pela 20ª rodada do Campeonato Brasileiro da Série B. Essa foi a primeira vitória alvinegra capital paraense em noite de grande inspiração do artilheiro Junior Santos.

A Ponte Preta, que não vencia há quatro jogos, tem agora a melhor campanha como visitante na Série B: seis vitórias, dois empates e três derrotas. De quebra, o time chegou aos 29 pontos e saltou para a sexta colocação, se reaproximando do G4. Por outro lado, o Paysandu perdeu a segunda seguida e estacionou nos 24, em 11º lugar.


O jogo foi transmitido ao vivo pela Rádio Futebol Interior, com narração de Carlos Corsato, comentários de Luis Fabiani, reportagens de Marcelo Corsato e Anna Voloch no placar ao vivo. A TV Futebol Interior e Redes Sociais ficou sob coordenação de Giovane Paiola. (Veja mais detalhes!)

MACACA EFICIENTE
A partida começou quente e logo no primeiro minuto o árbitro gaúcho Anderson Daronco mostrou dois amarelos: Matheus Silva (Paysandu) e Hyuri (Ponte Preta). Com mais posse de bola, o Papão assustou aos quatro, quando Pedro Carmona cobrou falta rente a trave de Ivan.

A Ponte Preta sofreu no começo, mas foi eficiente e voltou para casa com uma goleada (Foto: Fernando Torres/Paysandu)
A Ponte Preta sofreu no começo, mas foi eficiente e voltou para casa com uma goleada (Foto: Fernando Torres/Paysandu)

Novamente em falta perto da área, Pedro Carmona levou perigo ao bater por cima do travessão. Aos 15, Renato Augusto desviou cobrança de escanteio e a bola explodiu na trave. E a velha máxima do "quem não faz, toma" entrou em ação aos 16. A Ponte Preta abriu o placar na primeira vez que passou do meio-campo. Nathan aproveitou sobra e bateu de primeira no canto de Renan Rocha.

Aos 21, Pedro Carmona cobrou falta para dentro da área, a bola desviou no meio do caminho e exigiu grande defesa de Ivan. A Macaca abusava das faltas próximas a área e via o Paysandu perder chance atrás de chance. E quase que a Ponte amplia no contra-ataque. Júnior Santos fez grande jogada individual e rolou para Danilo Barcelos, que, de frente para o gol, isolou.

A Ponte fez o segundo aos 35. Hyuri recebeu lançamento de Renan Fonseca, fez grande jogada individual e passou para Júnior Santos, que dominou e soltou a bomba no ângulo do goleiro. No último lance do primeiro tempo, Igor lançou Hyuri, que dominou e bateu por cima. O atacante foi deslocado pelo zagueiro bicolor, mas o árbitro não assinalou pênalti.

NA BRONCA!
Assim que o árbitro Anderson Daronco apitou o fim do primeiro tempo, as vaias tomaram conta da Curuzu. Os jogadores do Paysandu também deixaram o campo insatisfeitos com o desempenho.

A Ponte Preta chegou a sexta vitória como visitante e colou no G4 da Série B (Foto: Fernando Torres/Paysandu)
A Ponte Preta chegou a sexta vitória como visitante e colou no G4 da Série B (Foto: Fernando Torres/Paysandu)

"Todo mundo tem que acordar. Tivemos duas desatenções ali e tomamos os gols. Agora é conversar com o professor no intervalo para ver o que podemos fazer no segundo tempo", disse o zagueiro Edimar.

VIROU PASSEIO

Na volta do intervalo, o Paysandu levou um balde de água fria logo aos três minutos. Danilo Barcelos cruzou para dentro da área e Júnior Santos desviou de cabeça no cantinho de Renan Rocha, marcando o terceiro gol da Ponte Preta. Impaciente, a torcida bicolor passou a pegar no pé de alguns jogadores, principalmente da defesa.

Aos 16, após cobrança de escanteio, Reginaldo cabeceou para dentro da área, a zaga bicolor parou pedindo impedimento e deixou Hyuri de frente para Renan Rocha. O atacante dominou e mandou para o fundo das redes. Os torcedores passaram a gritar "vergonha, vergonha, time sem vergonha" na Curuzu, enquanto a Macaca colocava o Papão na roda.

O Paysandu ficou desesperado e foi com tudo para cima, dando oportunidade para o contra-ataque pontepretano. Aos 26, Reginaldo ficou com a sobra de falta cobrada por Danilo Barcelos e, na frente de Renan Rocha, mandou na rede pelo lado de fora. Depois, Diego Ivo vacilou e quase André Luis marcou por cobertura.

Por causa do preciosismo, a Ponte Preta não marcou o quinto gol no último lance. Ruan desceu em velocidade e passou para Reginaldo, que devolveu de calcanhar mesmo na cara de Renan Rocha. O lateral demorou para chutar e mandou pela linha de fundo.

PRÓXIMOS JOGOS
O Paysandu volta a campo apenas na sexta-feira da semana que vem, contra o Londrina, às 19h15, no Estádio do Café, em Londrina, enquanto a Ponte Preta recebe o Criciúma na terça, às 21h30, no Moisés Lucarelli, em Campinas. Os jogos são válidos pela 21ª rodada.

Ficha Técnica

Fase
Única
Rodada
20ª rodada
Data
07/08/2018
Horário
21h30
Local
Curuzu - Belém (PA)
Árbitro
Anderson Daronco (RS)

Renda
R$ 94.735,00
Assistentes
Rafael da Silva Alves (RS) e Mateus Olivério Rocha (RS)

Público
2.762 pagantes (6.089 total)
Cartões Amarelos
Paysandu-PA: Matheus Silva, Diego Ivo, Diego
Ponte Preta-SP: Reginaldo, Hyuri

Gols
Ponte Preta-SP: Nathan 16' 1T, Júnior Santos 35' 1T, Júnior Santos 3' 2T, Hyuri 16' 2T
Paysandu-PA
Renan Rocha;
Matheus Silva, Edimar, Diego Ivo e Diego;
Renato Augusto, Nando Carandina (Jonathan Almeida), Thomaz e Pedro Carmona;
Dionathã (Mike) e Claudinho (Lúcio Flávio).
Técnico: Guilherme Alves.
Ponte Preta-SP
Ivan;
Igor (Ruan), Renan Fonseca, Reginaldo e Nicolas;
Nathan, Lucas Mineiro e Danilo Barcelos;
Hyuri (Victor Rangel), André Luis e Júnior Santos (Neto Costa).
Técnico: João Brigatti.
 
 
" />