Organizada da Ponte Preta acusa rival de depredação e pede providências

Na visão de David Martins, o melhor caminho é mandar as partidas longe de Campinas, buscando minimizar os confrontos

por Agência Futebol Interior

Campinas, SP, 10 (AFI) - O clima de guerra já tomou conta de Campinas antes mesmo do início da Série B do Campeonato Brasileiro. Nesta terça-feira a Torcida Jovem Amor Maior, principal organizada da Ponte Preta, divulgou uma nota oficial endereçada à imprensa, onde pressionou o Promotor de Justiça do Juizado Especial do Torcedor, Paulo Castilho, o Batalhão de Ações Especiais de Polícia (BAEP), especializada em trabalhar nas partidas de futebol, a Federação Paulista de Futebol (FPF) e a Confederação Brasileira de Futebol (CBF), questionando a insegurança na cidade para o jogo do dia 5 de maio contra o Guarani no estádio Brinco de Ouro da Princesa.

Após o título da Série A2 do Campeonato Paulista no último sábado, dia 7, torcedores do Guarani se deslocaram do Brinco de Ouro até a sede da Torcida Jovem, em frente ao estádio Moisés Lucarrelli, para depredar o local. Alguns objetos foram furtados, entre eles um troféu. A organizada da Ponte Preta registrou um Boletim de Ocorrência no 10º Distrito Policial de Campinas e agora pede que providências sejam tomadas. De acordo com o relato, alguns veículos que passavam pelo local também foram alvos da ação.

“Praticamente a um mês do tradicional derby campineiro, não se pode negar que o clima de guerra foi instalado na cidade de Campinas, o que poderá ter desdobramentos ainda mais graves”, alegou a nota oficial, redigida pelo advogado David Martins. De acordo com o representante da Torcida Jovem, “a realização do derby campineiro em solo local (Campinas) trará riscos aos torcedores de ambos os clubes. Mesmo se tratando de torcida única confrontos poderão ocorrer, com resultados gravíssimos”.

Organizada da Ponte Preta acusa rival de depredação e pede providências
Organizada da Ponte Preta acusa rival de depredação e pede providências
Na visão de David Martins, o melhor caminho, além da torcida única no principal derby da região, é mandar as partidas longe de Campinas, buscando minimizar os confrontos entre os torcedores. “Caso a partida seja realmente realizada em Campinas, a organizadora da competição poderá ser responsabilizada por eventuais tragédias, já que está sendo alertada sobre os riscos”, completou o advogado da Torcida Jovem Amor Maior.

Até o momento A Torcida Fúria Independente, principal torcida organizada do Guarani, não se pronunciou oficialmente sobre a possível invasão a sede da rival. Um vídeo que circula nas redes sociais mostra torcedores uniformizados depredando um troféu com o símbolo da Ponte Preta, mas a Polícia Civil ainda não identificou os envolvidos.