Por briga entre torcidas, Londrina e Goiás perdem mandos de campo

Além de perderem um mando cada um, ambos foram multados em R$ 10 mil

por Agência Futebol Interior

Londrina, PR, 02 (AFI) - Mais uma vez as torcidas organizadas vão prejudicar seus times. Em julgamento realizado na tarde desta sexta-feira, o Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) decidiu punir Londrina e Goiás com a perda de um mando de campo por conta da confusão envolvendo seus torcedores em partida realizada no Estádio do Café, válida pela 21ª rodada do Campeonato Brasileiro da Série B.

Nos acréscimos do segundo tempo, a torcida do Londrina jogou bombas em direção aos torcedores esmeraldinos, que revidaram com pedregulhos. A confusão na arquibancada só foi controlada com a chegada dos policiais, que fizeram uso de bombas de efeito moral. No entanto, o árbitro Célio Amorim paralisou a partida por um minuto.

Confusão entre as duas torcidas acabou prejudicando Londrina e Goiás
Confusão entre as duas torcidas acabou prejudicando Londrina e Goiás
Ambos os clubes foram denunciados no inciso I artigo 213, que diz "quando a desordem, invasão ou lançamento de objeto for de elevada gravidade ou causar prejuízo ao andamento do evento desportivo, a entidade de prática poderá ser punida com a perda do manco de campo de uma a dez partidas, provas ou equivalentes, quando participante da competição oficial". Já o Londrina também foi denunciado no artigo 211 por "deixar de manter o local que tenha indicado para a realização do evento com infra-estrutura necessária a assegurar plena garantia e segurança para sua realização".

Além de perderem um mando de campo, Londrina e Goiás também foram multados em R$ 10 mil. No entanto, os dois clubes já avisaram que vão recorrer da decisão do STJD.

ENTENDA O CASO
Os dois times só foram denunciados porque o árbitro Célio Amorim (SC) registrou na súmula da partida toda a confusão, que aconteceu nos acréscimos do segundo tempo e ficou parada apenas por um minuto, retornando depois que os policiais utilizaram bombas de efeito moral para controlarem os ânimos das duas torcidas.

De acordo com o relato de Célio Amorim, "aos 46' do segundo tempo houve a necessidade de paralisar a partida em virtude de um tumulto vindo da arquibancada ocorrido entre as torcidas. A paralisação durou cerca de 1', tempo suficiente para que pudéssemos checar jungo ao policiamento as condições de segurança dos torcedores. Após a garantia de segurança por parte do policiamento a partida continuou sem problemas...".

Durante a transmissão, alguns jornalistas disseram que as torcidas dos dois clubes já têm um histórico de confusão e teriam, inclusive, entrado em conflito na partida válida pelo primeiro turno, realizada no Serra Dourada, em Goiânia.