Série B: Zagueiro do Macaé acusa torcedores do Bragantino de racismo

O jogador afirmou que foi chamado de "macaco" e que vai fazer um Boletim de Ocorrência

por Agência Futebol Interior

Bragança Paulista, SP, 15 (AFI) – Apesar de ter conquistado um bom resultado fora de casa, empatando com o Bragantino por 2 a 2 no Estádio Nabi Abi Chedid, pela 26ª rodada da Série B do Campeonato Brasileiro, o zagueiro Brinner, do Macaé, tem motivos para querer esquecer a noite desta terça-feira. O jogador acusou torcedores adversários de chamá-lo de “macaco” no início do segundo tempo.

“O que aconteceu ali é lamentável no futebol, já não é a primeira vez que acontece comigo, e agora acontece de novo. Acho que está na hora de dar um basta nisso no futebol brasileiro. Isso que está acontecendo não está afetando só a mim, mas com certeza está afetando minha família que está em casa assistindo ao jogo. Acho que isso não pode passar impune. A gente sabe quem é. Ele deve estar infiltrado no meio dos torcedores, tenho certeza que vão achar. Acho que não pode deixar isso passar”, afirmou o jogador logo após a partida.

O zagueiro afirmou também que irá fazer um Boletim de Ocorrência (B.O) na delegacia ainda em Bragança Paulista, antes de retornar ao Rio de Janeiro.

“Vou fazer B.O porque não pode deixar isso passar. Se eu deixar passar, vão ter outros que também vão deixar passar, então eu vou fazer”, explicou Brinner.

Os policiais que estavam trabalhando na partida tentaram identificar os agressores, mas não conseguiram não conseguiram encontrar os torcedores em questão.