EXCLUSIVO! Em crise, Portuguesa 'rouba' técnico de rival da Série B

Nem mesmo o presidente do Braga, Marco Chedid, sabia das conversas entre Lusa e treinador

por Agência Futebol Interior

São Paulo, SP, 21 (AFI) – Uma verdadeira bomba caiu sobre o Bragantino, no início da tarde desta quarta-feira. Isso porque o técnico Marcelo Veiga acertou sua saída do Massa Bruta e assinou de forma surpreendente com a Portuguesa. Nem mesmo o presidente alvinegro Marco Chedid sabia as conversas do treinador com a Lusa.

“Fomos pegos de surpresa com esta informação. Tínhamos um planejamento para o ano inteiro e o Marcelo (Veiga) era de nossa confiança. Compramos até briga com a cidade para trazê-lo de volta. Agora, vamos trabalhar para encontrar um novo nome”, informou Chedid.

Apesar do mandatário alvinegro ter sido pego de surpresa, as duas partes já vinham conversando há alguns dias. Na segunda-feira, o time lusitano confirmou que o novo nome já estava definido e o anúncio viria apenas nesta quarta-feira. O motivo era óbvio: o novo comandante estava empregado e iria dirigir seu clube nesta terça-feira. O que se confirmou.

Em uma reunião na manhã desta quarta-feira, três nomes foram apresentados por dirigentes da Portuguesa. cada um havia contactado um. Entre Paulinho Mclaren, Luis Carlos Martins e Marcelo Veiga, a escolha do técnico do Bragantino foi a proposta por Ilídio Lico, presidente da Lusa.

Veiga chega à Portuguesa para assumir a vaga deixada por Argel Fucks, que saiu no sábado, após a derrota para o América-RN, por 2 a 1, e hoje está na mira do Vitória. O treinador topou o desafio de assumiu o clube do Canindé, que vive um dos piores momentos financeiros de sua história e ainda amarga a zona de rebaixamento no Campeonato Brasileiro da Série B, com dois pontos, na penúltima posição.

Desde a informação de que o substituto estava definido, vários nomes foram especulados pelo lado do Canindé. O primeiro foi Vágner Benazzi, que é ídolo no clube. Além dele, foram cogitados também Fernando Diniz, Doriva, Narciso, Toninho Cecílio e até o aposentado Candinho.

Marcelo Veiga encerra sua quarta passagem pelo Braga – 2004-2005, 2006-2007, 2007-2012 e 2013-2014 -, clube onde é o recordista em número de jogos. Somando todas as passagens, ele comandou o time em 430 jogos. Em sua terceira passagem, conseguiu a façanha de ter trabalhado cinco anos seguidos no clube, o que lhe rendeu o apelido de “Ferguson do Interior”, em alusão a Alex Ferguson, que dirigiu o Manchester United por 26 anos.

Embora tenha apenas 49 anos, Veiga tem um vasto currículo, sobretudo, no futebol paulista. Ele iniciou a carreira com 35 anos na Matonense, em 1999. Depois, passou por Lemense, Guaçuano, Itumbiara-GO, Taquaritinga, Ferroviário-CE, Francana, Paulista, América-RN, Remo, Botafogo-SP e São Caetano.

Agora, o Bragantino tenta administrar sua má fase na Série B e ainda sem um treinador. Nesta terça-feira, o time de Bragança Paulista foi goleado pelo Icasa, por 3 a 0, e caiu para a 18ª posição, com cinco pontos, também na zona de rebaixamento.

 
 
" />