Bragantino 1 x 1 Figueirense - Guerreiros seguram o Figueira, mas ele sobe

Reservas do Bragantino foram herois e empataram, mas Icasa e Ceará perderam e não subiram

por Agência Futebol Interior

Bragança Paulista, SP, 30 (AFI) – Após uma semana com muitas polêmicas, com acusações de mala branca – para vencer – e mala preta – para entregar o jogo – o Figueirense confirmou a sua volta à elite nacional ao empatar com o Bragantino, por 1 a 1, neste sábado à tarde, no Estádio Nabi Abi Chedid, em Bragança Paulista, pela 38.ª rodada do Campeonato Brasileiro da Série B. O jogo chamou a atenção de todos neste sábado, após entrevista exclusiva dada pelo zagueiro e capitão Álvaro à Rádio Futebol Interior que davam conta de uma possível "marmelada" para que o Bragantino facilitasse o jogo para o Figueirense, o que realmente aconteceu com a escalação de um time reserva.

Rebaixado no ano passado, quando foi lanterna do Brasileirão, o time catarinense, de 92 anos, ficou com a quarta vaga de acesso, com 60 pontos, fazendo companhia no G4 a Sport, Chapecoense e Palmeiras. Perto de três mil torcedores catarinenses fizeram a festa dentro do Nabizão, compensando o sacrifício por percorrer os 800 quilômetros que separam as duas cidades.

CEARENSES DECEPCIONARAM

Com a vitória, o Figueirense eliminou também as chances de dois clubes cearenses - o Icasa e o Ceará – que dependiam de um empate em Bragança para ter chances de subir. E foram incompetentes, porque o Icasa perdeu para o Paraná, por 2 a 0, em Curitiba, e o Ceará, em casa, caiu diante do Joinville, por 3 a 0. Três times terminaram com 59 pontos: o Icasa, em quinto; Joinville, em sexto, e Ceará, em sétimo. O Bragantino, com 47 pontos, terminou em 12.º lugar.

O Bragantino, que entrou em campo desfigurado, repleto de reservas e inclusive adotando o esquema 4-4-2, jamais utilizado pelo técnico Marcelo Veiga. Na véspera do jogo a diretoria, alegando férias antecipadas, afastou quatro titulares: o zagueiro e capitão Álvaro, o meia Magno Cruz, além dos atacante Cesinha e Lincom, artilheiro do time com 12 gols.

Esta atitude serviu para reforçar as denúncias de que o presidente do Bragantino, ex-deputado federal Marquinho Chedid, teria feito um acordo com o presidente a Federação Catarinense, Delfim Peixoto, por R$ 1,5 milhão. E, apesar dos méritos do Figueirense em buscar o acesso, este jogo ficou com o carimbo da marmelada (Imagem ao lado).

Apesar de tudo, o Bragantino foi um time guerreiro, porque também teria como motivação o prêmio de R$ 1 milhão, oferecido pelos dois times cearenses interessados diretamente no resultado. O time paulista, por isso mesmo, se agigantou e mesmo saindo atrás, chegou ao merecido e justo empate.

O JOGO
Ao contrário do esperado, o Figueirense começou o jogo cauteloso, sem se arriscar muito. Mas mostrando mais qualidade técnica. Aos 29 minutos fez o seu gol. Após jogada de Maylson dentro da grande área, a defesa aliviou e a bola que caiu no pé direito de Everton Santos. Ele soltou uma bomba e acertou o ângulo direito de Rafael Defendi. Um golaço.

O Bragantino teve uma chance de ouro, aos 41 minutos. Após levantamento de Thiaguinho o atacante Nilson desviou de cabeça. A bola quicou no chão e Tiago Volpi fez uma excepcional defesa, garantindo a vitória parcial até o intervalo.

No segundo tempo, o Figueirense, bem armado pelo técnico Vinícius Eutrópio, “cozinhou o jogo”. Mas recuou demais e permitiu a pressão do Bragantino, que empatou aos 29 minutos. Após chute de Dudu, o goleiro Tiago Volpi soltou e o zagueiro Guilherme pegou o rebote na pequena área e só empurrou para as redes.

Nesta altura, porém, o Icasa perdia do Paraná, por 1 a 0, e o Ceará perdia em casa para o Joinville, por 2 a 0. Pela combinação dos resultados, até a derrota daria a vaga ao Figueirense, que nos últimos 15 minutos apenas se defendeu. E depois festejou muito com a sua torcida.

Ficha Técnica

Fase
Fase única
Rodada
38ª rodada
Data
30/11/2013
Horário
16h20
Local
Estádio Nabi Abi Chedid, em - Bragança Paulista (SP) (SP)
Árbitro
Jailson Macedo Freitas - BA

Renda
R$ 69.691,25
Assistentes
Marcio Eustaquio S Santiago - MG e Rodrigo Pereira Joia - RJ

Público
3.052 pagantes
Red Bull Bragantino-SP
Rafael Defendi;
Pacheco, Yago, Guilherme e Bruninho;
Geandro, Graxa (Rafael), Thiaguinho (Dudu) e Gustavo;
Léo Aro e Nilson (Tiago Cavalcante)
Técnico: Marcelo Veiga
Figueirense-SC
Tiago Volpi;
André Rocha, Thiego, Nirley e Wellington Saci (Luan);
Paulo Roberto, Rodrigo Souto e Maylson;
Everton Santos (Ricardinho), Rafael Costa e Pablo (Rivaldo)
Técnico: Vinícius Eutrópio