Ponte Preta 1 x 2 São Caetano - Apagão no 2º tempo e outro tropeço

Mais uma vez, a Ponte Preta tropeçou em casa, e perdeu a chance de encostar na liderança da Série B do Campeonato Brasileiro

por Agência Futebol Interior

Campinas, SP, 24 (AFI) – Mais uma vez, a Ponte Preta tropeçou em casa, e perdeu a chance de encostar na liderança da Série B do Campeonato Brasileiro. Na noite desta sexta-feira, pela 24ª rodada, o time jogou no Estádio Moisés Lucarelli, em Campinas, e depois de fazer um ótimo primeiro tempo, deixou o ritmo cair, tomou a virada, e perdeu por 2 a 1.

O histórico não ajudou a Ponte Preta, pois esse foi o seu 17º confronto com o São Caetano, e a décima derrota, sendo que ganhou apenas três. Com o tropeço, ficou com 40 pontos, na quarta colocação. Enquanto isso, o São Caetano chegou aos 35 pontos, e chegou à sétima posição.

Só deu Ponte
Depois de um começo de jogo com bastante faltas, Ponte Preta e São Caetano fizeram um primeiro tempo bastante corrido. Quem assustou primeiro foi o Azulão. A Ponte foi melhor nesta primeira etapa e chegou com mais perigo ao gol de Luiz. Eduardo Martini não fez uma defesa sequer.

A Ponte começou a 100 km/h. Logo aos três minutos, Bruno Collaço avançou pela esquerda e tocou para André. Ele tentou girar e Jairo cortou para escanteio. Bruno Collaço cobrou na área, a defesa tirou e sobrou para Bruno novamente. Ele chutou e Luiz fez a defesa. Logo em seguida, André cruzou da direita e William cabeceou para o gol. Luiz caiu e fez grande defesa.

Com tanta pressão, não demorou para a Macaca chegar ao seu gol. Aos seis minutos, Bruno Collaço cobrou escanteio na área, Naldo desviou de cabeça, a defesa salvou e no rebote, William colocou para as redes. Mesmo fazendo o gol, os donos da casa não diminuíram seu ritmo, e não davam espaços para os visitantes jogarem

Aos 15 minutos, William cruzou da direita, Reis não chegou a tempo para desviar e a bola passou por toda área sem ninguém tocar nela. Depois, aos 22 minutos, Reis recebeu na esquerda e tocou no meio da área para William. Ele girou e Luiz saiu do gol para fazer a defesa.

Inverteu
A segunda etapa foi o contrário do primeiro tempo. A Ponte entrou completamente perdida, enquanto o São Caetano veio para cima em busca do empate. Logo aos quatro minutos, Bruno Recife cobrou a falta na área, Guilherme cortou de cabeça e, no rebote, Moradei, da entrada da área, colocou para o fundo do gol.

Após tomar o gol, a Ponte não conseguiu uma reação e seguia tomando susto atrás de susto. Aos seis minutos, Éverton Ribeiro tocou para Bruno Recife. Ele cruzou e a bola sobrou do outro lado para Roger. Ele rolou para trás e Moradei chutou forte. A bola desviou e passou muito perto do travessão.

Depois de tantos lances, o Azulão chegou ao seu segundo gol. Aos 13 minutos, Bruno Recife chutou cruzado da esquerda e Pedrão apareceu livre de marcação, para fazer o desvio, e matar Eduardo Martini, vendo a bola morrer no fundo das redes dos donos da casa.

Não deu
Depois da virada, a Ponte Preta se perdeu em campo completamente. O time não conseguia criar nenhuma chance de perigo, e ainda sofria com os contra-ataques do Azulão, que mais pro final da segunda etapa, abusou da cera, e segurou a vitória.

Próximos Jogos
A próxima rodada da Série B, a 25ª, será disputada toda na terça-feira, e os dois times vão entrar em campo às 19 horas. A Ponte Preta vai jogar em casa novamente, contra o Coritiba, enquanto o São Caetano viaja até Recife, para enfrentar o Náutico.

Ficha Técnica

Ponte Preta 1 x 2 São Caetano

Local: Estádio Moisés Lucarelli, em Campinas-SP
Renda: R$ 21.180,00
Público: 3.434 pagantes
Árbitro: Rodrigo Braghetto-SP
AssistenteS: Luiz Quirino da Costa-SP e Junivan Rodrigues de Sousa-SP
Cartões amarelos: Everton Silva e Bruno Collaço (Ponte Preta); Augusto Recife, Bruno Recife, Luiz e Jean (São Caetano);
Gols: Willian aos 6'/1T (Ponte Preta); Moradei aos 4'/2T e Pedrão aos 13'/2T (São Caetano)

Ponte Preta
Eduardo Martini; Everton Silva (Pablo Escobar), Naldo, Guilherme e Bruno Collaço (Kieza); Pirão, Josimar, Souza e André (Moacir); William e Reis.
Técnico: Jorginho.

São Caetano
Luiz; Artur, Marcelo Batatais, Jean (Roger) e Bruno Recife; Moradei, Jairo, Augusto Recife e Everton Ribeiro (Ailton); Eduardo (Matheus) e Pedrão.
Técnico: Toninho Cecílio.