Portuguesa 3 x 1 São Caetano - De volta ao G4 e com gol 7000

Athirson fez o gol histórico, Dodô marcou na estreia e Lusa voltou ao G4

por Agência Futebol Interior

São Paulo, SP, 30 (AFI) – Numa noite histórica, a Portuguesa venceu o São Caetano, por 3 a 1, nesta sexta-feira, no Canindé, pela 11.ª rodada do Campeonato Brasileiro da Série B. O resultado devolveu a Lusa ao G4, grupo de acesso, com 20 pontos, em quarto lugar, enquanto o São Caetano, com 18 pontos, continua em sexto.

Athirson abriu o placar e marcou o gol de número 7000 da Portuguesa em todos os tempos. O estreante Dodô marcou o segundo gol. A Lusa ainda manteve um pequeno tabu, porque não perde do Azulão desde o Paulistão de 2006. Desde então, foram cinco vitórias e dois empates.

Lusa muda esquema
A Portuguesa apresentou uma novidade tática, usando o esquema 4-4-2 ao invés do costumeiro 3-5-2. E começou melhor em campo, principalmente no ataque, onde apresentava o estreante Dodô, motivado e se movimentando bastante. Aos poucos, porém, o São Caetano, também montado no 4-4-2, passou a dominar o setor de meio-campo.

Mas o Azulão sofreu o gol aos 30 minutos. Paulo Sérgio cobrou o escanteio com efeito, Ademir Sopa desviou de cabeça, no primeiro pau, e do outro lado apareceu Athirson para testar para as redes.
Este foi o gol de número 7000 da história da Lusa, marcado por Athirson, homenageado antes do jogo, por ter completado, há duas rodadas atrás, seu 50.º jogo pelo clube.

Tanto que ele usou a camisa número 50. Ironicamente, a estrela da noite não voltou para o segundo tempo. Reclamando de uma lesão muscular, Athirson deu lugar para o volante Glauber, com a Lusa reforçando a marcação.

Marcação reforçada
A Portuguesa voltou mais forte na marcação, mesmo assim começou levando perigo ao goleiro Luiz. Logo no primeiro minuto, ele dividiu uma bola com Kempes, evitando o segundo gol. A torcida continuava na expectativa do gol de Dodô, que saiu aos 14 minutos. Após falta de Paulo Sérgio, rebote de Luiz e um bate-rebate na defesa, a bola sobrou na frente da pequena área para o chute de Dodô.

“Estou muito feliz, porque meu filho entrou comigo em campo e veio todo mundo: pais, tios e amigos”, afirmou Dodô, um artilheiro feliz.

Momentos delicados
A vantagem ficou apenas na aparência, porque o Azulão diminuiu aos 21 minutos. Artur invadiu a área, deu o drible num zagueiro e chutou de pé esquerdo. A bola desviou no corpo do zagueiro Preto Costa e impediu a defesa do goleiro Wéverton. O empate quase aconteceu aos 24 minutos, num chute de fora da área de Everton Ribeiro que exigiu grande defesa de Wéverton.

Nos últimos minutos, no desespero, o São Caetano buscou o empate. E sofreu, num contra-ataque, o terceiro gol, já nos acréscimos. Héverton recebeu sozinho, invadiu a área e tocou de lado para o complemento de Kempes, aos 47 minutos.

Próximos Jogos

Na próxima terça-feira, a Portuguesa já abre a 12.ª rodada diante do América, em Natal-RN, enquanto o São Caetano vai fechar a rodada, no sábado, dia 7, às 21 horas, em casa, diante do Guaratinguetá, em outro confronto entre paulistas.

FICHA TÉCNICA

Portuguesa 3 x 1 São Caetano

Local: Estádio Canindé, em São Paulo-SP
Renda: R$ 43.790,00
Público: 2.905 pagantes
Árbitro - José Henrique de Carvalho-SP
Cartões amarelos – Kempes, Acleisson, Héverton e Marcelo Batatais
Gols: Athirson, aos 30'/1T, Dodô, aos 14'/2T e Kempes, aos 47'/2T (Portuguesa). Artur, aos 21'/2T (São Caetano).

Portuguesa
Wéverton; Paulo Sérgio, Thiago Gomes, Preto Costa e Fabrício; Acleisson, Ademir Sopa (Domingos), Héverton e Athirson (Glauber); Kempes e Dodô (Malaquias).
Técnico: Vadão.

São Caetano
Luiz; Artur, Marcelo Batatais, Anderson Marques e Bruno Recife; Jairo (Gian), Moradei, Éverton Ribeiro e Kléber (Vandinho); Fernandes e Eduardo (Hugo).
Técnico: Sérgio Guedes.