São Caetano 5 x 0 Náutico - Bye-bye invencibilidade Timbu

por Agência Futebol Interior

São Caetano do Sul, SP, 01 (AFI) – O São Caetano venceu o Náutico, por 5 a 0, na noite desta terça-feira, no estádio Anacleto Campanella, em São Caetano do Sul, pela sexta rodada do Campeonato Brasileiro da Série B e conseguiu chegar próximo do G4 da competição. Foram necessários apenas 17 minutos, para o Azulão liquidar a partida.

Leia mais:
Icasa 4 x 0 Bahia - Tricolor cai de quatro no Romeirão!

Este foi o segundo triunfo consecutivo da equipe do ABC paulista, que a deixou muito perto da zona de acesso para a elite da competição. O time foi para onze pontos igualando a pontuação do Náutico, que chegou a seu segundo jogo sem vitória, e perdeu sua invencibilidade no torneio.

Picolé de Timbu
Jogando com a temperatura de 10 graus, time do Náutico entrou na partida congelado e tomou o gol mais rápido da Série B nesta temporada. Artur, lateral do Azulão, recebeu passe, invadiu a área pela direita e tocou na saída de Rodrigo Carvalho para marcar o primeiro gol da partida.

A coisa estava feia e três minutos depois veio o segundo. Everton Ribeiro cruzou da esquerda, a defesa do Náutico ficou pedindo impedimento e o meia Kleber veio de trás e escorou de perna direita para o fundo das redes.

Estes dois golpes logo no começo da partida deixaram o Náutico atordoado sem saber o que fazer em campo. Os jogadores estavam perdidos em campo e, principalmente, a defesa do Timbu, formada pelos reservas Diego Bispo e Saulo, não conseguia encontrar o posicionamento ideal na partida.

Linha burra
E, isto ficou comprovado com o terceiro gol do Azulão. Aos 17 minutos, o ataque do time do ABC tabelou na frente da área e a defesa do Timbu tentou fazer linha de impedimento, mas Fernandes saiu na cara do gol. Para impedir o tento, goleiro do Náutico Rodrigo Carvalho derrubou o meia e o arbitro marcou pênalti e expulsou o jogador, pois era o camisa um era o último homem.

Na cobrança, Eduardo teve categoria e bateu no ângulo direito, sem chances para Bruno, que entrou no lugar de Carlinhos Bala, que saiu bravo do gramado do Anacleto Campanella direto para os vestiários.

Com esta larga vantagem e com um jogador a mais, o time do São Caetano passou a tocar a bola e esperar o tempo passar para o final da partida. Enquanto o Náutico se fechou atrás impedindo uma goleada histórica.

Quase-quase
No final do primeiro tempo, quase que o Timbu diminui o marcador. Geilson cruzou da direita para Evando, que apareceu de surpresa na área e tocou de perna direita. O goleiro do São Caetano, Luiz, defendeu no susto e quase colocou a bola pra dentro da própria meta.

Que mexida, hein!
Atrás no marcador, o treinador do Náutico, Gallo, colocou mais um atacante no time no lugar do volante Ramires. O resultado não surtiu muito efeito e nos primeiros quinze minutos de jogo, o Azulão mantinha a posse de bola esperando o momento certo de dar o bote.

E este momento veio aos 12 minutos. Eduardo invadiu a área e foi derrubado por Diego Bisto. O árbitro Felipe Gomes da Silva marcou o segundo pênalti na partida. Na cobrança, o atacante que foi derrubado bateu do lado esquerdo, sem chances para Bruno, que apenas observou.

O restante do segundo tempo foi de dar sono, as equipes tocavam a bola de um lado para o outro esperando o juiz apitar o final de jogo, mas o São Caetano foi impiedoso e ampliou o marcador. Aos 45 minutos, Bruno Recife cruzou da esquerda para Eduardo, que subiu livre e colocou a bola no canto esquerdo, sem chances para Bruno.

Próximos jogos
O São Caetano volta a campo na próxima sexta-feira, às 21 horas, contra o Brasiliense, na Boca do Jacaré. Já o Náutico joga no sábado contra o Ipatinga, no estádio dos Aflitos. Os jogos serão válidos pela sétima rodada da Série B.

Ficha técnica

São Caetano 5 x 0 Náutico

Local: Estádio Anacleto Campanella, em São Caetano do Sul
Público: 509 pagantes
Renda: R$ 3.660,00
Árbitro: Felipe Gomes da Silva-RJ
Cartões amarelos: Eduardo (São Caetano); Ramires, Diego Bispo (Náutico)
Cartões vermelhos: Rodrigo Carvalho
Gols: Artur, aos 27seg’/1T, Kleber, aos 3’/1T, Eduardo, aos 17’/1T e 12’/2T e 45’/2T (pênaltis) (São Caetano)

São Caetano
Luiz; Artur, Marcelo Batatais, Anderson Marques e Bruno Recife; Moradei, Augusto Recife (Lucas), Fernandes (Luciano Henrique), Everton Ribeiro e Kléber; Eduardo.
Técnico: Sérgio Guedes

Náutico
Rodrigo Carvalho; Cesar Prates, Diego Bispo, Saulo e Zé Carlos; Rodrigo Pontes, Ramires (Cristiano), Élton e Carlinhos Bala (Bruno); Geilson e Evando
Técnico: Alexandre Gallo

 
 
" />