Guarani 0 x 3 Portuguesa - Lusa estraga festa e cola de vez no G4

por Agência Futebol Interior

Campinas, SP, 31 (AFI) - Com um futebol digno de quem almeja o acesso no Campeonato Brasileiro da Série B, a Portuguesa encostou de vez no G4, na tarde deste sábado. Jogando em cima dos erros adversários, a Lusa estragou a festa dos mais de 10 mil bugrinos presentes no Estádio Brinco de Ouro e goleou o Guarani, por 3 a 0, pela 33ª rodada da competição.Com este resultado, o clube do Canindé se transforma no "Exterminador do G4", já que nas últimas quatro rodadas venceu três

times que situam-se entre os quatro primeiros. Além do Bugre, venceu também Atlético-GO e Ceará, por 1 a 0. A fase só comprova que a Lusa volta dez vez à briga pelo acesso, no sexto lugar, com 54 pontos. Dois a menos que os goianos, quarto colocados.

Por outro lado, a derrota vexatória encerra uma invencibilidade de nove partidas do Alviverde jogando em casa, sendo oito vitórias e um empate. O último revés havia acontecido no dia 31 de julho, quando foi batido pelo Atlético-GO, por 3 a 1. Apesar do tropeço, o time segue no segundo lugar, com 62 pontos, ainda bem próximo do acesso.Prenúncio de desastre?
A tarde do Guarani não começou nada bem. Logo aos três minutos, o técnico Vadão perdeu seu principal articulador por conta de

uma fatalidade. O meia Walter Minhoca se chocou com o volante Cléber Goiano e saiu de campo com a suspeita de uma torção no joelho direito. O treinador Vadão errou e colocou Caíque, arrebentando o esquema tático do time bugrino.

Para piorar ainda mais a situação da equipe alviverde, a Portuguesa, que até então respeita em demasia o adversário, abriu o placar em um apagão da defesa bugrina. Aos 11 minutos, o atacante Zé Carlos disparou em velocidade pela direita, ganhou de três marcadores e cruzou rasteiro. Fellype Gabriel, livre na entrada da pequena área, só teve o trabalho de completar.Depois do gol, o Bugre despertou e foi para cima, mas na única oportunidade que conseguiu criar acabou esbarrando no goleiro

Muriel. Após boa troca de passes, a bola sobrou para o atacante Ricardo Xavier, que chutou forte na grande área para bela defesa do "camisa 1", no ângulo.

Desastre confirmado
lanças nas costas do zagueiro Dão, invadiu a área sem marcação alguma e só bateu na saída do goleiro Douglas. Mais um ataque O problema é que a defesa alviverde não estava em um dia feliz e voltou a falhar no segundo gol lusitano, aos 23. Zé Carlos foi rápido superou a zaga pesada e mal posicionada dos campineiros. O time de Vadão, entretanto, nem teve tempo para digerir o gol. Aos 27 minutos, Preto deu uma excelente assistência para Fellype

Gabriel, que de novo escapou por trás dos defensores, invadiu a área e deu um toque sutil por cobertura sobre o arqueiro. O terceiro gol terminou de desestruturar os donos da casa.

Apesar de o Bugre possuir mais posse de bola e buscar mais o ataque, a Lusa matou nos contragolpes, com muita velocidade e qualidade no toque de bola. Aos 33, Zé Carlos ainda perdeu outro gol, ao finalizar rente à trave. Isso foi o estopim para os torcedores, que passaram a vaiar e reclamar nas arquibancadas.
Muriel, o paredão!
Como já se previa, o Guarani voltou com tudo do intervalo e a pressão ficou ainda maior, após a equivocada entrada do atacante Bruno Cazarine no lugar do volante Gláuber, que não jogou bem. O problema é que a Portuguesa continuou atuando com muita frieza e segurança. E quando sua defesa não parava o ataque bugrino, o goleiro Muriel honrava seu salário.

O panorama da partida não alterou-se nos minutos seguintes. O Bugre continuou no campo de ataque, mas sem conseguir superar a muralha formada na frente da meta de Muriel. Para "colaborar", os atacantes alviverdes não estavam em uma tarde feliz. Aos 22 minutos, após tabelar com o volante Léo Mineiro, Ricardo Xavier, na cara do gol, mandou para fora.

No final, mesmo com o jogo perdido, a torcida abandonou as vaias presentes em alguns momentos da primeira etapa e incentivou o time. O coro de "Vamos subir Bugre!" foi o pano de fundo da partida nos últimos minutos, que foram emocionantes, já que os mandantes se abriram e foram com tudo ao ataque.


E Márcio Alemão. De novo!
Nos minutos finais, Márcio Alemão, que estava no banco bugrino, passou a ofender jogadores da Portuguesa e, após o apito final de Paulo César de Oliveira, foi para cima de Zé Carlos, somente não cometendo a agressão pois foi contido pelo preparador físico do Guarani, Walter Grasman, e pelo repórter da EPTV, André Natale.

Márcio Alemão, estranhamente liberado pela comissão técnica, esteve recentemente fazendo testes no Irã e não foi aprovado, tendo retornado ao estádio Brinco de Ouro.

Próximos Jogos
No próximo sábado, às 16h10, o Guarani tem outro confronto direto contra o Atlético-GO, no Estádio Serra Dourada, em Goiânia. Enquanto isso, a Portuguesa joga contra o ABC, na terça-feira, às 21 horas, no Estádio do Canindé, em São Paulo.

Ficha Técnica

Guarani 0 x 3 Portuguesa

Local: Estádio Brinco de Ouro, em Campinas-SP
Árbitro: Paulo César de Oliveira-SP (FIFA)
Público: 10.338 pagantes
Renda: R$ 153.498,00
Cartões Amarelos: Bruno Aguiar (Guarani); Ygor e Preto (Portuguesa)
Cartões Vermelhos: Caíque (Guarani); Fábio (goleiro reserva) (Portuguesa)
Gols: Fellype Gabriel aos 11'/1T e aos 27'/1T e Zé Carlos aos 23'/1T (Portuguesa)

Guarani
Douglas; Maranhão, Bruno Aguiar, Dão e Eduardo; Glauber (Bruno Cazarine), Cléber Goiano, Léo Mineiro (Rodriguinho) e Walter Minhoca (Caíque); Fabinho e Ricardo Xavier.
Técnico: Vadão.

Portuguesa
Muriel; Domingos, Ygor (Henrique) e Thiago Gomes; Fernandinho, Acleisson, Preto, Marco Antônio (Héverton) e Marco Aurélio; Fellype Gabriel e Zé Carlos (Kempes).
Técnico: Vágner Benazzi.