Bragantino 2 x 1 América-RN - Jogo aéreo mantém o sonho vivo!

por Agência Futebol Interior

Bragança Paulista, SP, 27 (AFI) – O Bragantino voltou a mostrar sua força como mandante no Campeonato Brasileiro da Série B. Com dois gols de cabeça, marcados por Kadu e Paulinho, o time alvinegro venceu o América-RN por 2 a 1, de virada, nesta terça-feira, no Nabi Abi Chedid, em Bragança Paulista, e manteve as esperanças de chegar ao G4.
Agora, são três vitórias consecutivas em casa, o que garante ao Bragantino a sétima posição, com 49 pontos ganhos. São sete a menos que o Atlético-GO, que enfrenta o Duque de Caxias na sexta-feira. A Ponte Preta também tem 49 pontos, mas perde a posição no número de vitórias em relação ao Braga: 14 a 13.

Por outro lado, o resultado complica a situação do América-RN, que se manteve com 36 pontos e, por causa da vitória do Bahia sobre o Juventude, caiu para a zona de rebaixamento, em 17.º lugar. O time potiguar vinha de goleada sobre a Portuguesa, por 4 a 0.

Joga a bola para a área!
O jogo aéreo foi quem decidiu o primeiro tempo entre Bragantino e América-RN. Os dois times pouco criaram, mas sempre chegaram com perigo ao gol. Prova disso aconteceu logo a um minuto. Wilton Goiano avançou pela direita e levantou na cabeça de Lúcio. O matador colocou no canto esquerdo de Gilvan e abriu o placar para o Mecão.
O Bragantino acordou a partir daí. Aproveitando-se da lesão de Júlio Terceiro, que saiu de campo machucado, os paulistas alcançaram o empate aos 31 minutos, em mais uma jogada aérea. Sérgio Manoel cobrou falta na área e Kadu subiu mais que os marcadores para tocar de cabeça, no canto esquerdo de Rodolpho.
O América-RN teve a chance de garantir a vitória parcial aos 41 minutos. Após jogada de Wilton Goiano, Lúcio recebeu livre na pequena área. Sem goleiro, o atacante preferiu soltar o pé ao invés de colocar a bola e a isolou por cima do travessão.
O castigo veio dois minutos depois. Sérgio Manoel foi à linha de fundo e cruzou na cabeça de Paulinho. O volante, que surgiu como elemento surpresa entre os zagueiros, cabeceou no canto direito e garantiu mais um gol a partir de jogadas aéreas.
Apatia geral!
A etapa final não foi das melhores tecnicamente. O América-RN tentou mudar a partida com a entrada de meias e atacantes, mas deu pouco trabalho a Gilvan. Já o Bragantino não atacou tanto e preferiu manter a posse de bola para garantir o resultado positivo.
Chances de gol foram raras. O Bragantino se aproveitou das arrancadas de Diego Macedo pelo lado direito, mas o lateral sentiu dificuldades na hora do último toque. Os atacantes pouco se movimentaram e também atrapalharam os planos de Macedo.
O América-RN só foi perigoso nos minutos finais, mais na base do abafa do que da qualidade técnica. Com Max, Lúcio e Geovane na frente, o time potiguar arriscou somente em chutes de longe ou bolas aéreas. Todas as finalizações, porém, foram pela linha de fundo.
A melhor chance da etapa final aconteceu aos 32 minutos. Geovane cruzou para a grande área e Lúcio meteu a cabeça na bola. Gilvan se esticou e evitou o empate nos minutos finais. Para segurar o jogo, Marcelo Veiga trocou Beto por Jorge Preá.
Próximos Jogos
Os dois times voltam a jogar somente na próxima semana, pela 34ª rodada da Série B. Na terça-feira, o Bragantino visita o Ceará, no Castelão, em Fortaleza. No sábado, o América-RN recebe o Vila Nova, no Machadão, em Natal.
Ficha Técnica
Bragantino 2 x 1 América-RN
Local: Estádio Nabi Abi Chedid, em Bragança Paulista-SP
Árbitro: Rodrigo Nunes de Sá-RJ
Público: 429 pagantes
Renda: R$ 4.825,00
Cartões Amarelos: Diego Macedo, Robson, Rodrigo Costa e Marcelo Godri (Bragantino); Wilton Goiano e Somália (América-RN)
Gols: Kadu aos 31’/1T e Paulinho aos 43’/1T (Bragantino); Lúcio a 1’/1T (América-RN)
Bragantino
Gilvan; Kadu, Da Silva e Robson; Diego Macedo, Paulinho, Rodrigo Costa (Marcelo Godri), Lúcio e Sérgio Manoel (João Paulo); Léo Jaime e Beto (Jorge Preá).
Técnico: Marcelo Veiga.
América-RN
Rodolpho; Wilton Goiano, Leandro Silva, Edson Rocha e Somália; Jackson, Ricardo Oliveira, Júlio Terceiro (Ramirez) e Lenilson (Max); Juninho (Geovane) e Lúcio.
Técnico: Francisco Diá.